sexta-feira, 2 de abril de 2010

Repetecos do Sofá - Páscoa


Sofá especial de Páscoa. Com Everton Vidal, do blog Re-Novidade


"O Sábado era para os hebreus o dia separado para o descanso. Não era qualquer descanso, como as sestas que tomamos depois de almoçar, mas um descanso existencial, um dia para a reflexão e devoção à vida e ao Ser que a criou.
Também tinham muitas festas, todas com importantes significados, a Páscoa era uma delas. Diversas culturas nômades antigas comemoravam a passagem do inverno para a primavera. Eram vários dias de festas, cuja primeira noite de lua cheia após o início da primavera era a principal. Foi exatamente nesta noite que ocorreu a Páscoa hebraica relatada no livro de Êxodo.

Portanto essa festa tinha um sabor especial para os hebreus, era o dia em que comemoravam a vida (simbolizada pela primavera) e principalmente a libertação da opressão egípcia. Acontece que durante a história dos hebreus muito se perdeu da profundidade desses dias-símbolos.
Guardar o sábado havia se tornado fim em si mesmo, sendo usado até para escravizar o ser humano. Quanto à Páscoa, fica evidente ao lermos os evangelhos que o povo, oprimido pela dominação romana, esperava ansiosamente por uma nova libertação. O gosto das ervas amargas – que comiam como memorial da escravidão um dia terminada – há muito havia se tornado o próprio sabor da existência, debaixo de seguidas opressões.

Alguns, sem dúvida, já haviam perdido a esperança. Rubem Alves escreveu que “é preciso beber o amargo da vida para se ter noção da doçura, ausente, distante”... Os judeus entendiam isso.

Fernando Pessoa divino-humana-mente inspirado escreveu um poema que contém a seguinte frase, “quem tem alma não tem calma”. Aqui e acolá lembro-me dela, numa das últimas vezes eu estava dentro de um micro-ônibus, vendo uma mãe na beira da rua repartir uma laranja com um par de crianças sujinhas. Cenas iguais ou piores que esta são normais.
Já estamos acostumados... Isso é o mundo, isso é o capitalismo, isso é a “vida”. Somos todos escravos de uma situação que não nos agrada – pelo menos aqueles que têm alma. Diante da fome da África, da miséria da Índia, das injustiças da America Latina e do sofrimento de qualquer criança do mundo... quem tem calma não tem alma.
Quando Cristo esteve por aqui preocupou-se com as mesmas situações e tratou de renovar os significados. Ensinou com palavras e ações que o Sábado é na verdade uma forma de encarar o próprio agora da existência – o hoje. Sim, Cristo nos mostrou que todos os dias são-devem-ser sábados de paz e misericórdia no coração. Essa paz é um descanso colhido pelo ser em todos os momentos.

Todavia, não é indiferença e morbidez, não é sossego, isso – tal qual O Rappa – é “a paz que eu não quero” pois paz sem atividade não é paz.Cristo re-novou o significado da Páscoa com a sua própria Vida. Transformou-a na festa da Esperança, e isso nos seus momentos de maiores agonias. Aliás essa sempre foi a atitude do Cristo, enfrentou todas as agonias com lucidez, vivacidade e esperança, mesmo quando foi traído e crucificado.
Os discípulos vivenciavam às escondidadas o medo e a perplexidade dos fatos, assim como nós fazemos em relação a muitos dos nosso problemas cotidianos, incluindo as balas perdidas das metrópoles. E mesmo quando receberam a boa notícia da ressurreição ficaram atônitos e incrédulos, ora é a mesma reação que temos frente as boas notícias dos jornais.

Mas a Esperança adocica a vida, sem ela, à existência só resta o gosto das ervas amargas. Páscoa é a festa da Esperança, não do chocolate. Não há nada de errado em alimento algum, inclusive os chocolates, se ingeridos com moderação. O problema acontece quando as coisas começam a ser fins em si mesmas
Que o tempo da Páscoa seja santificado (separado) como tempo de refletir sobre o mundo, e que dessa reflexão nasça um mundo novo, onde ao menos a vida seja vista como um dom supremo. que neste sentido todos os dias sejam dias de Páscoa. Dia de esperança. A Vida venceu e por isso vivos somos! "

Para ler outros textos do Everton, clique AQUI.

4 comentários. Clique e deixe o seu!!:

disse...

Amigão,
voc~e não poderia ter escolhida pessoa melhor para convidar no dia de hoje.
Vidal parabéns pela brilhante explicação.
Que deus abençoe a ti meu querido amigo Amigão e ti menino lindo Everton, com saudades de suas doces visitas.
Feliz Pácoa para vocês e suas famílias.
Vovó Rô!

Que o tempo da Páscoa seja santificado (separado) como tempo de refletir sobre o mundo, e que dessa reflexão nasça um mundo novo, onde ao menos a vida seja vista como um dom supremo. que neste sentido todos os dias sejam dias de Páscoa. Dia de esperança. A Vida venceu e por isso vivos somos! "

Precisamos mais do que estarmos vivos e crermos em um só Senhor?

Suzana Martins disse...

Amigão querido, feliz páscoa para vc e um abraço delicioso!!

Saudade grande!!

Beijos

Valéria Russo disse...

AMIGÃO..
QUE SUA PÁSCOA SEJA DE PAZ, FELICIDADE E RENOVAÇÃO.
BJUIVOS NO SEU CORAÇÃO.
SUA AMIGA.
LOBA.

Valdeir Almeida disse...

Olá, Amigão.

Ainda há tempo par lhe desejar Feliz Páscoa. Que Deus o abençoe.

Gostei do repeteco. Tenho saudades dos posts do amigo Éverton. Ele está ensaiando voltar à blogosfera. Tomara que ele volte logo a nos abrilhantar com textos como estes.

Abraços e ótima semana, amigão.

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____