terça-feira, 6 de abril de 2010


Já contei algumas vezes aqui que moro bem perto da estação do trem na Marginal Pinheiro. Sou usuário da linha Osasco X Grajaú, sendo que entro na estação de Jurubatuba e desço quatro estações após, Vila Olímpia.Para percorrer este trajeto de trem são necessários 20 minutos. De carro pela Marginal o mesmo trajeto leva de uma a duas horas, mas tem gente que mesmo assim prefere ir de carro. Eu vou de trem, você sabe.
Nos trens, pelo menos nessa linha é proibida a entrada de camelôs e pedintes.A polícia ferroviária pega duro mesmo, mas sempre aparece nos horários menos nobre um ou outro vendedor ambulante um ou outro pedinte que conseguem burlar a segurança.
E foi num desses dias que o rapaz entrou no trem.Não estava assim tão mal vestido e nem tinha aquela cara de pedinte profissional, mas o papo...
Depois de saudar efusivamente todos os passageiros a quem fez questão de desculpar-se por estar “aqui invadindo o seu sossego e a tranqüilidade da sua viagem” começou sua cantilena, como dizia minha mãe.
- Meus senhores, eu cheguei a São Paulo para trabalhar com meu cunhado, deixei minha família lá no Caruaru e vim sozinho pra cá em busca de um emprego. Quando cheguei na casa do meu cunhado, descobri que ele havia se mudado e eu fiquei na rua. Fui parar no albergue, passei fome, não consegui o emprego...Soube que na estação da Luz, há um ônibus clandestino para Recife que custa R$ 250,00 e por isso estou aqui pedindo a ajuda dos senhores...Para inteirar este valor só faltam R$ 39,00...
O discurso é interrompido, pois o serviço de som da composição anuncia solenemente; “ Pedir esmolas no trem é crime, não incentive essa prática”.
O rapaz sem graça insiste no discurso que novamente é interrompido com a parada na estação Granja Julieta, na qual entram dois policiais ferroviários à procura do infrator que fica ali quietinho, disfarçando.Ninguém entrega, nem deda.
Quando o trem segue viagem, não é necessário falar mais nada, um passageiro sem conseguir disfarçar um sorriso tira uma nota de dois reais do bolso e outro também rindo entrega umas moedas e de repente todo mundo se envolve na maior campanha de solidariedade que já vi na minha vida, ou seria de de cumplicidade como se estivéssemos todos burlando alguma coisa.

Bom dia, mas bom dia mesmo!

1 Comentário:

Valdeir Almeida disse...

Amigão,

Sinceramente, eu também não confio na sinceridade das pessoas que pedem dinheiro em transportes públicos. O discurso deles é sempre o mesmo: chegou à grande cidade, perdeu o emprego e agora precisa da colaboração dos passageiros para voltar à cidade natal.

Quanto aos passageiros que colaboram para manutenção desta farça, por que eles não usam do mesmo "espírito" de solidariedade para ceder lugar aos idosos?

Abraços, amigão, e uma excelente terça-feira.

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____