sábado, 12 de setembro de 2009


Essa semana recebi um comentário de um post antigo e fui lá ver do que se tratava. Era um texto de janeiro de 2008 quando a gente discutia sobre dedicatórias em livros.O comentário chegou agora:
"Meu nome é Silmara Mateus,moro com 2 filhas.Nós três somente.Comprei livros para uma delas e to tentando escrever algo que fique na memoria como dedicatória pra ela.Por acaso entrei na pagina e fiquei emotiva com sua historia.Passei pra dizer isso. Bacana vc..."
Diz a regra que dedicatória mesmo só o autor do livro pode fazer. Quando compramos livros e damos de presente o que escrevemos é um oferecimento, não uma dedicatória.

Não sou muito de ganhar livros, as pessoas não sei por que preferem me presentear com canecas,assim tenho poucos livros com dediatórias ou oferecimentos.
Um dos livros que sempre recorro quando quero escrever sobre publicidade é "Só porque criou o mundo pensa que é Deus", do Henrique Carneiro Szklo. Ganhei do próprio com dedicatória e tudo: "Amigão divirta-se, se é que é possível com um livro destes."(me divirto bastante com o livro e inclusive o meu perfil no blog é baseado no prefácio do livro dele).
Livros com dedicatória de autor como disse, tenho poucos, mas se tem gente que acha que é prestígio eu já acho muito impessoal em alguns casos já que o cara nem sabe quem você é,etc, enfim não é este o tema do post. Ganhei uma vez um livro de um cara que é técnico de futebol, um certo cidadão cujo nome não menciono aqui no blog.Um amigo trouxe de presente com dedicatória do próprio cidadão para mim. Não li. Não sei por onde anda.Perdi.
Também tenho um outro livro que ganhei da Zezé Sales, diretora de Midia da Publicis quando saí de lá. E olha que eu e a Zezé vivíamos brigando por qualquer coisa:"Amigão, este livro é para você lembrar de mim com carinho. O mesmo que tenho por você. Leve uma boa lembrança da Publicis, porque você aqui é especial. Sorte no futuro e perseverança nos seus objetivos. Um grande abraço. Janeiro 2001"(hoje lembro com saudades da Zezé, uma garota muito especial.Espero que esteja bem)
Quando vim morar em São Paulo, minha mãe me deu uma Bíblia de presente.E escreveu: "Filho este livro vai fazer você esquecer o pecado.Ou o pecado vai fazer você esquecer este livro"(mãe, nenhum nem outro, pode ficar tranquila)
Dedicatórias e oferecimentos são especiais, lembram coisas, ocasiões e momentos que deixaram saudades. É como folhear um album de fotografias.
Vi no Rafael Galvão um dos blogs que sempre visito, um post também antigo sobre dedicatórias em livros:
" É tão triste quando se vai em um sebo - e eu gosto de ir a sebos, como você sabe- e achar livros que foram dados de presente a alguém com dedicatórias carinhosas. Amores antigos e amizades passadas, são essas as histórias que essas dedicatórias contam; e eu me sinto um intruso quando vejo essas pequenas histórias tristes, como se estivesse olhando pelo buraco da fechadura para algo tão íntimo e agora tão melancólico."

Um dia ai, andando pela rua vi um monte de livros jogados no lixo.Tristeza. Me abaixei e retirei os que estavam mais conservados. Eram livros velhos, mas que indicavam uma não leitura. Em deles um oferecimento:
"Gostaria que após vocês lerem me emprestassem o livro mas pelo amor de Deus não esperem a 'Tha' completar 18 anos".
E continua:" meu nome é José Carlos Barbosa Tiago. Nasci a 20 de maio de 1964.Não me lembro de quando nasci, mas quando tinha quatro anos mandei jogar minha irmã no mar. Daqui a cinquenta anos continuo....27/05/1991"

Até hoje fico imaginando quem terá sido José Carlos Barbosa Tiago.Assim mesmo, nome completo. Que histórias teria ele para contar hoje. Que história é esta de mandar jogar a irmã no mar?Mistérios da vida...
Mas voltando ao assunto,quero propor uma brincadeirinha aqui, talvez isto até vire um meme, vamos ver no que dá:  se você tivesse que me oferecer um livro, qual seria este livro e o que você escreveria para mim?
Bom e feliz sábado!

14 comentários. Clique e deixe o seu!!:

Elaine disse...

Olá!
Mandaria para você...mandaria, não, mandarei um dia meu livro de contos. Que livro? Um que está dentro de mim e um dia nascerá.
Escreveria assim, ou algo parecido:
"Para meu Amigão, que teve a paciência de esperar por este livro."
Mispera?
Beijos.

Marcone França disse...

Amigão...
Não consigo lembrar de nenhum livro no momento. E um oferecimento seria de acordo com o Livro.
Acho que caneca seria mais fácil. Rsrsrs
Abraço!
Bom domingo.

NANA disse...

Já leu Sidarta de Hermann Hesse?

Este livro marcou minha vida e recomendo a leitura a todas pessoas.
Ele tanto pode modificar a visão das pessoas sobre a vida como pode fortalecer os valores já existentes.
Este livro provoca uma reflexão profunda...

A dedicatória? Bem, só na hora mesmo.

***

Os livros que ganho, mesmo que venham sem dedicatória/oferecimento eu guardo c/ todo carinho, não empresto nem pra minha mãe (mas isso que já faço c/ qualquer livro mesmo... rsrs).
Livros c/ dedicatórias deixam de ser 'apenas' livros e passam a ser uma gostosa lembrança da pessoa que nos presenteou. Injusto se desfazer dele. Injusto com a pessoa que nos deu.

Beijão no ♥ do Amigão! =)

Marco Antonio disse...

Tenho relação de amor e ódio com livros. Assim, sentimentos profundos e controversos (ou não).

Você me pegou com esse post. Não sei por que demoro tanto a aparecer aqui...

Diego Borges disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diego Borges disse...

Na vida ganhei poucos livros , mas eles vieram com palavras que sei que são verdade por senti-las todos os dias quando tais pessoas estavam ao meu lado.
Amei a idéia de um meme sobre isso .
Um abração :) !!

Du disse...

Vou responder a tua pergunta de um jeito bem legal. Vou escolher um livro que eu goste muito aqui dois meus e vou te enviar com meu oferecimento/dedicatória! \o/

Beijos, querido!

Alberto Júnior disse...

Concordando e diferindo do Rafael Galvão, também me sinto intruso quando leio dedicatória em livro usado, mas dá uma sensação gostosa supor o encontro entre aquelas duas vidas ali registrado.

Mas, respondendo à proposta, queria mesmo mandar um livro pra ti. Verei isso com mais calma.
Indico "A Insustentável Leveza do Ser" porque é um livro que eu gosto muito. Embora já nos conheçamos há certo tempo virtualmente, ainda não consigo captar sua essência e ter a liberdade de dar um livro que ache seja sua preferência.

Dedicatória:
"Sincero Amigão, porque você tem me ensinado a ser menos pesado e a crer na leveza das relações é que te deixo esse livro como mais uma parte de minha presença contigo. Desejo que ele também te revele também um outro olhar sobre a vida assim como fez comigo. Um beijo.
Do seu mais leve (pela magreza) amigão, Alberto."

Alberto Júnior disse...

Não estranhe. Eu estou reciclando meu perfil virtual. Aqui pode.
Cheiro!

Lorena disse...

Amigão, que incrível esse post!
Sabe que eu adoro livros de sebo justamente pelo monte de histórias que eles carregam, além da história que contam? Eu sou uma pessoa imaginativa (no mínimo) e me perco da vida imaginando onde aquele livro já esteve, quem já o possuiu, que mãos o tocaram, que sentimentos ele despertou... E quando vem com dedicatório acho uma delícia! Me transporto pra vida daquelas pessoas; ou melhor, invento uma vida para elas. =)

Sim, mas em relação a sua pergunta. Que livro eu daria a você? Hum... Deixe-me pensar...

Acho que te daria um livro infantil, se você não se importasse, te daria Meu Pé de Laranja Lima. Minha dedicatória seria:
"Ao querido Amigão, que a pureza e sensibilidade da criança personagem te despertem os sentimentos da sua criança interior. E que um dia os seus netos herdem esse livro, pra que a magia do sentimento nunca se perca. Da amiga que te admira muito, Lorena.

Luana! disse...

Fiquei tímida c a idéia. É particular demais dedicar algo tao precioso a algm. Se eu presenteio um livro a alguem [amante/amigo] é pela reação q imagino q ela terá diante daquela[s] história[s].

E pronto! Acho q tu vai ganhar um monte de livro now. Aahahhaha

Bjao, Amigão

Éverton Vidal Azevedo disse...

"O livro dos abraços" de Eduardo Galeano. E eu ofereceria mais ou menos assim:

Amigo Amigao rs,
este livro é diferente e maravilhoso, espero que gostes. E receba-o como um abraço fraterno.

Inté!

Santa Cruz, 14 de setembro de 2009


---
Estou voltando à blogsofera. Abraço!

Leandro Correa disse...

Como eu tenho poucas coisas na minha cabeça, te mandaria um livro que condiz com meus pensamentos.. rsrs, vamos ver...

AH! Te mandaria um livro que eu to escrevendo, algum dia ele vai ficar pronto, com a dedicatóriia, vamos ver...

"Para um amigão, o amigão."

rs, meu livro ainda não tem título :D

Cor de Rosa e Carvão disse...

Também acho dedicatórias muito superficial e impessoal. Na verdade, nem gosto de comprar livros e dar para o autor autografar. Qdo faço isso geralmente é por "obrigação" social.

Tenho poucos amigos escritores. Deles sim pego autógrafos. Ou de conhecidos (geralmente professores) com contato frequente. E, mesmo não gostando da obra, acabo guardando, pois a mensagem foi feita com carinho ou atenção especial.

Por isso meu caro, que não te enviaria um livro com "oferecimento". Talvez uma caneca, com minha foto para que me conheça. Hehehehe. Bjo

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____