quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Tá rolando um filminho de 30 segundos do Criança Esperança, já viram? Abre com uma criança mexendo no lixo e de dentro do carro outra criança diz à sua mãe: "olha mãe, tem uma criança ali mexendo no lixo". A mãe olha e não vê nada: "Filho ali não tem criança nenhuma. A única criança aqui é você". A mensagem do filme é que já estamos tão acostumados com a miséria que nem enxergamos mais nada além do nosso proprio umbigo. Mais ou menos isso, já que não lembro muito bem do diálogo e nem encontrei o filme na net.
Mas amigão, porque você tá falando isso?
Ah, sim lembrei do filme ainda agora  mesmo, quando estava me dirigindo ao trabalho. O dia está realmente bonito e na minha caminhada há um parque que tenho que atravessar todas as manhãs. É o Parque do Povo.Uma área imensa inaugurada no ano passado pela prefeitura da cidade.
Antes era uma favela horrível, não se podia atravessá-la, era necessário dar umas voltas mais além até chegar ao trabalho. Aqui é área nobre da cidade. Cidade Jardim, proximo á AV.Faria Lima, que é uma das avenidas mais ricas e bonitas ocupadas por pessoas igualmente ricas e bonitas. Porque então uma favela logo aqui?
- Vamos derrubar esta favela e construir um parque. Um parque para o povo. O Parque do Povo.É só rolar uns incêndiozinhos aqui outro ali e pronto a favela será removida lá pra periferia.
E eis o Parque do Povo:
O Parque do Povo é bonito mesmo. Só gente bonita. Rapazes musculosos e moças gostosas fazem suas caminhadas e corridas matinais. Até filmagens com modelos e atores rola aqui nesse parque.
No parque há várias obras de artes espalhadas.
Miséria? Gente pobre e feia? Nóias? To vendo nada. Agora temos um grande parque, Um parque para o povo.A vida é assim mesmo, né não?

5 comentários. Clique e deixe o seu!!:

Luana! disse...

A expurgação da miséria de forma "tão bonita" é comum a todas as grandes cidades. Ou, pelo menos a todas as cidades, que querem ser "grandes".
Mas eu, sinceramente, não me acostumo. Continuar a minha vida é uma coisa, me acostumar é outra diferente.

Monica disse...

vamos varrer a sujeira pra baixo do tapete que a visita vem aí!

não é por aí que as coisas funcionam nesse país????

Giane disse...

Oi, Amigão!

Engraçado. Como a Amiga no comentário acima, também pensei em "sujeira varrida para baixo do tapete".
E nessa cidade o tapete é a periferia.
Meu irmão mora próximo a um shopping center e em frente há uma grande favela.
Há mais de dez anos que a administração do shopping luta para retirar a favela dali.
E pelo seu post, vi que um dia eles vão conseguir.
E adivinha para onde eles vão "varrer" todas aquelas famílias?

Beijos mil, Amigão!!!

Elaine disse...

Olá!
Moro em uma cidade de menos de 40000 habitantes. Há cerca de 5 anos havia no fim da rua mais importante da cidade uma minúscula favela, com pouco mais de 20 casas. O prefeito da época se empenhou e conseguiu com a iniciativa privada grana. Construiu casas e doou para as famílias. No local da favelinha tem hoje um ginásio poliesportivo com piscina e tudo. Ou seja, se tiver empenho, não precisa expurgar.Claro que guardadas as devidas proporções...sei que em cidade grande tudo é mais difícil.
Beijos.

Éverton Vidal disse...

Estamos ficando craques em mascaramento de realidades né?

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____