quarta-feira, 8 de julho de 2009


O mercado publicitário está de luto. Faleceu no último dia 02 ,Tomás Lorente, aos 47 anos, um dos mais importantes diretores de criação do país. Vítima de infarto.

Lorente era daquela equipe de bacanas que eu cito sempre por aqui, como a turma do sexto andar. Tabalhou em vários agências e ganhou dezenas de leões em Cannes.

Estou postando sobre o assunto pois de todas as homenagens recebidas, uma chamou a atenção. Foi a carta que Carlos Domingos, ex-sócio, ex-dupla e a julgar pelo teor da mensagem ex-amigo também, publicou em página inteira do Jornal de Propaganda como se fosse um anúncio. Vale a pena ler e pensar até que ponto a nossa estupidez e orgulho podem marcar nossas vidas para sempre.


charge do Dorinho, daqui.


"Tomás Lorente foi meu mentor, minha principal dupla, um amigo querido, exagerado e carinhoso. Como todo espanhol, era intenso: amava intensamente, odiava intensamente.
Com ele ganhei todos os prêmios da publicidade, alcancei as maiores glórias. Vivi uma relação de amor raramente vista entre homens. Fomos irmãos mesmo: criávamos juntos, almoçávamos todos os dias, bebíamos até tarde (ele nunca deixava eu ir embora) .

Vivemos as maiores emoções juntos. Nossas irmãs ficaram doentes ao mesmo tempo, nossas mães foram operadas no mesmo período. Chorávamos um no ombro do outro. Viajávamos juntos (é verdade: tirávamos férias e íamos para os mesmos lugares).

Convivi tanto com o Tomás (ele sentado sempre ao meu lado direito) que certa vez fui fazer um exame médico e o doutor me disse que eu tinha uma mancha de nicotina no pulmão direiro, acredite se quiser! Ralhei com ele várias vezes para maneirar no cigarro, menos preocupado com a saúde dele do que com a minha. Ele dizia, com grande dose de razão, que os gênios fumam. Sim, Tomás sabia que era um gênio.

Quando saí da DM9, num gesto nobre, ele saiu comigo. Abandonou uma sociedade numa bem bem-sucedida agência simplesmente para me acompanhar. Em menos de 24 horas, juntamente com a Ana, decidimos abrir a AGE.

Alguns anos depois, quando deixou a Age., experimentei o outro lado. Tomás me odiou com todas as forças, e se empenhou em tirar o pessoal da criação, e tirou mesmo. De todos os lados, ouvia demonstrações de sua dor, rancor e ressentimentos.
Foi um período muito difícil. Quando ele inaugurou um restaurante (que acompanhei cada detalhe) mandei flores para tentar amainar as coisas. Não adiantou muito. Claro que voltamos a nos falar, mas nunca mais foi como antes.

Apesar de nosso afastamento, sempre continuei ligado a ele. Eu sabia quando ele não estava bem. Nas semanas que antecederam a saída dele da Y&R, sonhei com ele três vezes. Na fatídica noite de seu infarto, não preguei o olho: tive taquicardia, dores pelo corpo, algo me incomodava e me impedia de dormir. De manhã, soube o motivo: ele estava se despedindo.

O mercado publicitário perde um gênio. O mundo perde um sonhador, um homem que flertava com a excelência em tudo que fazia. E eu perco um irmão com quem, para piorar, não havia retomado a amizade por completo (ah, isso ainda vai doer muito).

Para meu consolo, há uns 15 dias, minha esposa encontrou com ele num shopping. Se falaram, o Tomás viu as fotos de minha filha pela primeira vez. E a Fernanda disse:
- Tomás, o Domingos gosta muito de você. Mas gosta mesmo: sempre que fala de você seus olhos enchem d’agua.
Tomás sorriu e respondeu:
- Eu também gosto muito dele. Vou ligar para ele semana que vem.
Como era de se esperar, ele não ligou. E eu também não. Nesse orgulho besta que vitimiza muitos de nós, homens. Eu sabia que Tomás era uma história mal resolvida na minha vida.

Me lembro de um período em que comecei a fumar charuto. E o Tomás me advertia, com a maior cara de pau:
- Olha lá, você vai ter câncer na boca.
Eu olhava para o cigarro em sua mão e respondia com sarcasmo:
- E você vai ter câncer no pulmão, e nós seremos a dupla mais criativa do hospital.
Pois bem, Tomás, não aconteceu assim. Mas quem sabe, daqui a alguns anos, nós seremos a dupla mais criativa do céu.
Um beijo carinhoso de seu eterno dupla, amigo e irmão, Carlos Domingos"

8 comentários. Clique e deixe o seu!!:

NANA disse...

BOM DIAAAAAAA, Amigão! BOM DIAAAAA MESMO!!!

Essa história é de arrepiar, sabia?!
Faz refletir sobre o orgulho mesmo, de como o tempo passa rápido.

Mas tem o seguinte, uma amizade assim é eterna!

PS: Faz tanto tempo que não inauguro os comentários no seu blog (estou de folga hoje)

Suzi disse...

eu vinha lendo, comovida, achando tudo lindo, belo... aí na parte do encontro no shopping, já era. dos meus olhos escorreram as lágrimas que estavam se segurando para não cair, por já imaginar o final da história...
é mesmo pra se pensar.

Du disse...

Fazer a gente chorar logo de manhã não vale, tá? Que coisa...
O orgulho que é sempre muito besta estragou tudo! A gente nunca sabe quando será a última vez que vai ter oportunidade de falar ou fazer algo importante por alguém, não é mesmo? Ontem eu olhei o primeiro capítulo de Som & Fúria e aconteceu algo parecido...
O amor está tão próximo do ódio, que às vezes se confundem...


Bom...

Deixei um selo pra vc que vem com uma espécie de meme junto: indicar as cinco coisas que mexem com seus sentidos nesse momento!
Indiquei você, porque o seu blog é um dos que mexem com meus sentidos! rsrsrs

Beijo!

Dani M. disse...

Ah amigão, essa história partiu meu coração. Ainda mais esse tipod e história qeu envolve amizade e orgulho. Já fui muito orgulhosa, e ainda sou as vezes. Coisa que aprendi com meu pai, sempre altivo, que nunca volta atrás do que decide.
Ele já perdeu muito por isso, e eu tb. Mas nada comparado a perda do Domingos. Como ele mesmo disse, isso ainda vai doer muito.
Um ótimo dia pra vc.
Um beijão!!

Andreia disse...

Olá querido, que história linda. Estou chorando acredita!
Amigos verdadeiros são jóias raras nas nossas vidas, por isto não podemos deixar de dizer um "Eu te amo" hoje e nunca amanhã. Nesta incógnita que é a vida pode ser tarde demais...
Beijos amigão!!!

Glayce Santos disse...

...é como costumo falar, em 5 minutos podemos matar ou criar um mundo!

"Dupla criativa"! Me lembrou o filme Antes de Partir!

Bons amigos ficam no coração...!

Cristiane A. Fetter disse...

Por isso é importante dizermos o quanto gostamos dos outros, sem falsos pudores.
bjks

Natália disse...

Puts, Amigão!
Você me fez chorar com essa história. Muito bonita mesmo. Histórias de amizade sempre mexem comigo. Tadinho desse cara que vai conviver com essa história mal-resolvida enquanto viver. Porque histórias não-acabadas são assim...não se deixam ser esquecidas jamais.

Um beijo grande pra você

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____