quarta-feira, 24 de junho de 2009


O blog Fio de Ariadne propôs para domingo passado, uma blogagem coletiva sobre a importância da música na nossa trajetória. Gostaria muito de ter participado e ter lido os posts dos amigos que participaram.Faltou-me tempo. Assim não sei bem do que falaram, mas aproveito o tempinho livre hoje para falar um pouco da minha carreira musical...ops!
Minha mãe cantava no coro da igreja e tinha uma voz muito bonita de soprano.Sem saber direito o que estava fazendo ela conseguia tirar aqueles agudos que só as cantoras de óperas conseguiam.
Quando chegava dos ensaios do coral ela nos repassava os hinos que havia ensaiado e nos ensinava a cantar exatamente como no coral. E a gente sonhava ter idade para também cantar no coral.

Uma das minhas irmãs tinha o melhor soprano que eu já ouvi, mas em compensação minha outra irmã tinha a melhor voz de contralto que eu também já ouvi. Tenho um irmão que canta tenor melhor do que muita gente por aí e eu, bem, eu arranhava no meu baixo indefinido, que às vezes era contra-baixo em outras barítono, não sei direito, mas sei que lá em casa a gente fazia um tremendo coral.

Sem entender nada de musica, às vezes consigo cantar o baixo direitinho só de ouvir o soprano.E minhas irmãs? Incrível como elas conseguem fazer aqueles arranjos vocais em qualquer música que se esteja cantando, sem também não entenderem nada de música.

E era assim, com este clima que a gente tirava do fundo da garganta o melhor de "Maravilhosa graça!Maior que o meu pecar. Como poder cantá-la? Como hei de começar? Pois alivia a minha alma, e vivo em toda a calma ...". Isto com arranjos e divididos em vozes e com mamãe nos regendo.Ah, quer saber? A gente também cantava Aleluia de Haendel.Que arrepiava os vizinhos...
E quando a gente cismava de imitar uma orquestra? Aquilo é inexplicável:
Soprano: Ressoam os violinos com cânticos divinos...
Contralto:
A clarineta, a clarinete, faz ta ta ta ta ta
Tenor:
A trombeta prateada faz ta, ta, tá, ta
Baixo: Os tímpanos fazem sempre dois tons..
Estas eram as letras de cada voz e todo mundo cantando isto ao mesmo tempo, surgia um som de música orquestrada, ou uma banda. Incrível, não dá pra explicar como saia tão perfeito.

Mas a gente nunca cantou junto em público.O mundo perdeu o “Sousa Brother's”. Alguns dos meus irmãos (somos oito) cantam solos na igreja. Não somos assim como os membros da família Vicente, mas eu garanto, meus irmãos eram bons mesmos e ainda são.
A gente tentou repetir este coral no natal, mas as vozes já estragadas pelos vícios não soaram tão boas como antigamente.
Hoje eu canto no chuveiro e esta é uma das maiores terapias.Cantar no chuveiro logo pela manhã já é prenúncio de um bom dia. Comece cantando no chuveiro que você vai cantar o dia inteiro e não há nada, mas nada mesmo que tire o seu bom humor.
A música tem o poder de despertar e espantar todas as coisas e energias negativas. Traz paz, traz calma.
É bom ouvir música pela manhã. Mas cantar é bem melhor.
Mamãe sempre ensinava que a gente deveria ter uma canção, qualquer que fosse para cantar de manhã, outra para cantar quando estivesse cansado, uma para quando a noite chegasse e acima de tudo, nunca, mas nunca deveríamos deixar de cantar.

Mas este é um assunto tão longo e tão rico que pode se multiplicar em centenas de outros posts.Por hoje eu diria: Nunca deixes a canção de ti fugir.

7 comentários. Clique e deixe o seu!!:

Lorena disse...

Amigão, eu também AMO cantar. Não sei se sou boa, mas sou afinadinha, canto direitinho... Também já cantei muito na igreja quando era mais nova, adorava!

Agora fiquei morrendo de vontade de ouvir o coral dos Sousa... Não tem nada gravado aí pra disponibilizar pra gente nã? =)

Beijos, queridão!

Dani M. disse...

Ah Amigão temas mais duas coias em comum: adoro cantar e tb sou Sousa e com s mesmo. Será que somos parentes? hehehehe...
Eu tb já cantei na igreja mas de forma muito tímida. Gosto mesmo é de cantar nas rodas de amigos, nas festas em família e claro no chuveiro. Sensacional. Quando chego cedo em casa levo o sonzinho pro banheiro, escolho algum cd e fico cantando junto. Realmente é uma terapia.
Tb fiquei curiosa pra te ver cantar, mas não essa música da ana carolina, kkkk...
Beijos querido!!!

Albertinho disse...

É Amigão, mais uma vez acertamos no mesmo gosto: música. Depois do post lá sobre rádio, propaganda e memória, tu vens com esse tema tão bonito.Melhor, a música em família.

Minha mãe, aliás, a família de minha mãe sempre foi muito musical. Ela também canta, sempre cantou em igreja, e me levou pra cantar em igreja. Tive uma tia que não conheci porque faleceu antes d'eu existir e que diziam ser uma cantora nata de rádio, com os mesmo trinados e alcance de voz de Ângela Oliveira, com agudos e graves na intensidade certa. Eles moravam ao lado do hotel da cidade e os hóspedes se espantavam ao ouví-la cantando durante os afazeres domésticos achando que se tratar de um rádio ligado.

Eu não canto com a mesma função cotidiana que você, mas adoro cantar no banheiro. eu prefiro ouvir, mais que cantar. Mas quando me é pedido pra cantar eu procuro fazer com a doação que a música pede.

Não sou muito fã de karaokê, mas se tivermos a oportunidade de nos encontrarmos pessoalmente num bar onde tenha um violão para acompanhar, eu topo o dueto! :D
E com direito a segunda, terceira ou quarta voz.

Saravah!

Suzi disse...

Será que é muita parcialidade dizer que esse foi o melhor texto da blogagem coletiva sobre o tema??
Não preciso repetir que amo, amo, amo muito quando vc traz pra cá memórias da sua infância.

Esse post renderia no mínimo uma tarde inteira de comentários. Por que a gente mora tão longe, hein?

Tem como marcar os posts que eu mais amo pra gente, na hora que vc vier ao Rio, sentar e comentar um por um??

Glayce Santos disse...

contralto, soprano... tudo grego pra mim, mas AMO música. Ouço todos os dias e a minha alma agradece. Cantar no chuveiro! É bão, né? Linda historia da sua mãe... Cantar a Deus é mais doce ainda! =)

Bom, vim retribuir sua visita e dizer que te linkei! Obrigada pelas palavras gentis lá no meu barraco.

Beijinhos

Amynon disse...

Legal, eu também sou barítono , a maior parte do tempo ou das musicas eu só consigo fazer o tenor as vezes só o baixo , as veses não sai nada kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Mas saindo ou não estamos la .
Um abraço e uma boa Quinta !

Su disse...

Geeente!!! Sousa Brother's!! Que lindo!!! Eu tenho certeza que o mundo perdeu mesmo, viu?!!

Tu sabes que eu AMO cantar, né?! Desde molecota cantava no coral infantil da igreja e depois formamos um grupo, um trio e pronto! Hoje só canto em dias especiais, rsrssrs... Cantar é maravilhoso, alivia as tensões!!!

Amigão seu post tá liiiindooo!!! :D

Te amo

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____