quarta-feira, 17 de junho de 2009


A historinha abaixo eu li na coluna da jornalista Magda Ferrentini, do Jornal Propaganda e Marketing. Sendo hoje o dia da feijuca do amigão e sendo a história imperdível, não tive nenhum pudor em copiar e colar aqui.Ficam pois os créditos e vamos a história como disse imperdível.


“Joãozinho aos 70 anos, residindo em uma pequena e pacata cidade, abordou o padre na rua e segredou”:
- Padre, eu nunca me confessei, mas, como estou ficando velho, acho que chegou a hora! Só que eu gostaria de me confessar com um anjo...Tem jeito?
- Mas meu filho, com um anjo? Isso é meio difícil! Olha, se minha presença o inibe, eu posso dar pores ao sacristão para ouvir sua confissão!
- Não, seu padre, eu tenho dois pecados gravíssimos os quais só posso confessar a um anjo, tenho certeza!
- Bem, então no domingo vá a igreja e assista à missa. Após a missa, eu providenciarei um anjo para ouvir suas confissões.
Joãozinho eufórico exultou:
-Muito obrigado, seu padre, o senhor não pode nem imaginar a paz que o senhor está me devolvendo.
E assim... Joãozinho, aos 70 anos, aliviado por ter resolvido seu problema e o padre preocupado com o problema que acabar de arranjar. Chegando à igreja, o padre chamou o sacristão, contou-lhe a história e começaram a traçar o plano para levar um anjo ao confessionário.
- Faremos o seguinte – disse o padre – vou vesti-lo de anjo e você se esconde no ato do mezanino onde fica o coral. Depois da missa eu amarro uma corda em volta do seu corpo vou descendo sobre o confessionário e conforme for descendo você abana as asas. O que acha?
- Perfeito, disse o sacristão. O seu Joãozinho já está velho, enxerga pouco, não vai notar nada!

Domingo, Joãozinho assistiu à missa inteira, aguardou que todos saíssem da igreja e que o sacristão fechasse a porta e saísse. Levantou-se do banco e se encaminhou para o confessionário.
Passaram-se alguns minutos e lá veio o sacristão abanando as asas sobre o confessionário.
Joãozinho se ajoelhou. E o “anjo”, com voz angelical, perguntou:
- Meu filho, por que você não quis se confessar com o padre nem com o sacristão?
- Sabe o que é seu padre, é que eu estou dormindo com a mãe do padre e a mulher do sacristão. Entendeu agora porque eu não queria me confessar com eles?
- Entendi, meu filho, disse o “anjo”. Então eu lhe dou como penitência, 200 ave Maria pela mãe do padre e 2.000 pai nossos pela mulher do sacristão. Está bem assim, meu filho?
- Justíssimo, seu anjo, respondeu o Joãozinho,
- Por isso que eu queria me confessar com quem entende. 2.000 pai nossos pela mulher do sacristão contra 200 ave Maria pela mãe do padre é mais que justo, pois a mulher do sacristão é 10 vezes mais gostosa que a mãe do padre. Muito obrigado seu anjo, já vou agora mesmo, lá pro altar, pagar a penitência!

O “anjo” aguardou um instante, fez um sinal para o padre que o puxou de volta para mezanino e, curioso, indagou:
- E aí, meu filho, como foi a experiência?
- Pois foi horrível, sofrível. Desci como um anjo pelas mãos de um padre e acabei subindo como um corno pelas mãos de um filho da p...”

Beijão do amigão e bom dia, mas bom dia mesmo!

3 comentários. Clique e deixe o seu!!:

Su disse...

hahahahahahahhahahaha....
E Joãozinho aos 70 anos, não poderia deixar de aprontar das suas!!!!
Beijos e bom dia, mas BOM DIA MESMO!!!
Te amo, gatão!!!

Cristiane A. Fetter disse...

Eita le le,
Da-lhe Joaozinho, rs.
bjks

Du disse...

Joãozinho é meu herói!!! auhauhauahauahauahau

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____