quarta-feira, 1 de abril de 2009

Você sabe a hora de terminar uma história? E uma história de amor?


Há um clássico, que ouvi na voz da Fafá de Belém, em que ela grita como só ela sabe fazer: "Joga a cópia da chave por debaixo da porta, que é pra não ter motivos...boa sorte e Adeus.”
E quando a Bethânia implica nostálgicamente: “Negue que me pertenceu, diga que já não me quer, que eu mostro a boca molhada, ainda marcada por um beijo seu”.
A MPB, a bossa nova, o sertanejo e o proprio rock, são carregados de muscias solos-despedidas.
Foi Tim Maia que gritou uma vez: "To indo embora...Pode crer você pois tudo a perder...foi jogo sujo.”
E o Guilherme Arantes e Cazuza e alguns outros cantaram: " Pra que mentir, fingir que perdoou.Tentar ficar amigos sem rancor. A emoção acabou e que coincidência, o amor."

Mas teve também a Adriana Calconhoto que na hora da despedia ameaçou quebrar os discos, rasgar os livros, queimar a casa o inferno “que é pra ver se você volta, pra ver se você vem...”
Aquilo ali é o ápice da mendicância. Sim. Porque quem tá indo embora tá indo. Da mesma maneira que quem fica, tá ficando e pronto.
“- Não se vá, me dê uma chance outra vez.Daqui pra frente tudo vai mudar...”
Corações dilacerados.
“Você pode ficar com a medida do Bonfim, não me valeu. Devolva o Neruda que você me tomou e nunca leu...”
Todo mundo tem que saber a hora que a história termina. É como no cinema que quando você menos espera aparece “The End”. Não adianta espernear. Acabou. Ou como dizia a dona Maria do Rosário (mulher muito conhecida no meu blog mas que lá em casa eu chamo de mãe): "Acabou o milho, acabou a pipoca!"
Simples assim.
Ouvi o Chico cantando "Trocando em miudos" e foi esta música que me ensinou como reagir ao final de uma história e olha que eu era bem moleque na época...sim o garoto bobão...aquela voz do Chico, doce e triste foi de cortar o coração. "As marcas de emoção em nossos lençóis,nossas melhores lembranças. Aquela esperança de tudo se ajeitar pode esquecer...”
Aquela interpretação foi o fim. O Maximo do pedido de clemência.To devolvendo, mas por favor pense, reconsidere.Fique.To indo embora “com a leve impressão de que já vou tarde”. Não fosse o Chico eu diria, "não é pra tanto mestre!". Menos!
Precisava tirar esta impressão que o Chico deixou em mim. Fui ouvir a mesma musica anos depois com o Francis Hime. Aí sim valeu a pena.
Aquele tom debochado rasgado, rido: “Aliás, aceite ajuda do seu novo amor, pro aluguel, devolva o Neruda que você me tomou e nunca lel (nunca "lel"pra rimar com aluguel, tanto era o deboche na hora a despedida).
O Roberto Carlos avisou que “ O Show já terminou.Vamos tirar a maquiagem e voltar a realidade...”
Pronto já estava tudo resolvido. Decidido que é assim e pronto. Daí volta o Roberto Carlos, sempre ele, e joga na cara de um montão de gente bem resolvida que não é bem assim:
“você foi o melhor dos meus casos. De todos os abraços, o que eu nunca esqueci”(que droga, tava tudo certo comigo).
A hora da partida é cruel, mas é também a hora da libertação. Fim de um tempo.Começo de uma nova vida.
Eu sei...
Nestas alturas da minha idade posso dizer que sou um mestre em despedidas.No ínicio eu chorava muito mas hoje em dia, diante dos meus cabelos brancos eu vou seco.Muito seco. Não sou um rato, sou um homem. Quer ir? Acabou? Tchau e benção!
Pronto assim mesmo.
Agora que não tem ninguém olhando, eu pego escondido, uma foto embaixo do travesseiro, foto encardida envelhecida pelo tempo. Desce uma lágrima teimosa e escondida. Daí como não podia deixar de ser, lembro que a Simone cantou: "Bastou se ver mais uma vez, prá sentir que não passou”
Não passou. Mas que filha da puta!

Ah, doutor, como dói."Viver sem ela será o meu fim”



Mas de uma coisa fiquem certos, se ela quiser voltar, o meu olhar vai dar uma festa!






Nota do amigão: Este post não tem nada a ver com o meu caso com a Giovanni+Draft. Mas em respeito aos que me acompanham diariamente, gostaria de informar que o caso também terminou. Beijão do amigão!

10 comentários. Clique e deixe o seu!!:

Du disse...

Pois é Amigão, pois é... lembrei da nossa conversa por telefone. As músicas influenciam demais depois de uma despedida forçada do amor. E por isto mesmo, eu estou evitando escutar até mesmo as músicas do meu próprio blog! Se o negócio é reagir e não deixar a peteca cair, não é escutando músicas que falam de amor que vamos conseguir, né?
Então tá... será que um dia meu coração ficara seco também? Tipo assim, "se tu não quer tem quem quer,então adeus!"
Aff! Sei não...
Eu sou uma completa idiota romântica e sonhadora, Amigão. Mas não sou masoquista. Então ainda tenho chances de crescer e lidar melhor com todas estas dores que meu coração teima em não querer compreender.

Um beijo de bom dia!

Luana Diniz disse...

Ai, ai, ai

Ainda fico com "olhos nos olhos", do Chico.

[i]Olhos nos olhos, quero ver o q vc faz, ao sentir q sem vc, eu passo bem demais. E que venho até remoçando, me pego cantando, sem mais, nem por quê. Tantas águas rolaram, quantos homens me amaram bem mais e melhor que você[/i]

As musicas de amor, definitivamente, foram feitas para os amantes, namorados e não para os casados. Hahahahhah

Luana Diniz disse...

Grrr...a minha tag de itálico nao funcionou! Era <> e não [].

Burra! Zero pra ela.

Aí lembrei:
Quando olhastes bem nos olhos meus
E teu olhar era de adeus, juro que não acreditei
Eu te estranhei, me debrucei Sobre o teu corpo e duvidei
E me arrastei, e te arranhei
E me agarrei nos teus cabelos
Nos teus peitos, teu pijama
Nos teus pés, ao pé da cama
Sem carinho, sem coberta
No tapete atrás da porta
Reclamei baixinho
Dei prá maldizer o nosso lar
Pra sujar teu nome, te humilhar
E me vingar a qualquer preço
Te adorando pelo avesso
Prá te mostrar que ainda sou tua
Até provar que ainda sou tua.


Com a tag certinha!

Hum...vou me matar ali ouvindo chico, na voz da elis. Ai, Jesus!

Olhos Virtuais disse...

Fala amigão... quanto tempo eu não vinha aqui heim.... gostei dos trechos do Roberto Carlos rsrs.

Abração
Be Happy

Cristiane A. Fetter disse...

Ai ai ai ai ai.
bjks

Lorena disse...

Ih, Amigão... final de relacionamento, seja da espécie que for, parece um furacão, um tornado, deixa tudo na vida de cabeça para baixo. Mas é apenas por um tempo, o tempo que precisamos para colocar tudo de volta no lugar. Esse tempo depende de cada um, mas ele chega ao fim e voltamos à ativa novinhos em folha. E música nessa hora só faz bem, pelo menos pra mim. Pode ser aquela música mais dor-de-cotovelo do mundo, me faz bem. Me faz parar para respirar e refletir. Por isso adorei todas as citações e te mando uma música de presente, para que você não fique triste:

Tem dias que eu fico pensando na vida
E sinceramente não vejo saída.
Como é, por exemplo, que dá pra entender:
A gente mal nasce, começa a morrer.

Depois da chegada vem sempre a partida,
Porque não há nada sem separação.
Sei lá, sei lá, a vida é uma grande ilusão.
Sei lá, sei lá, só sei que ela está com a razão.

A gente nem sabe que males se apronta.
Fazendo de conta, fingindo esquecer
Que nada renasce antes que se acabe,
E o sol que desponta tem que anoitecer.

De nada adianta ficar-se de fora.
A hora do sim é o descuido do não.
Sei lá, sei lá, só sei que é preciso paixão.
Sei lá, sei lá, a vida tem sempre razão.


Chama-se "Sei lá... A vida tem sempre razão", e é da minha dupla brasileira favorita: Toquinho & Vinícius. =)

beijos, queridão.

Laís Carvalhêdo disse...

vou copiar o povo acima...
ai ai ai...

é só o q dá p dizer!

Flávia e Kbça disse...

eita amigão. se serve de consolo, todos os relacionamentos que se acabram em minha vida me trouxeram, coisas maravilhosas em seguidas.

é o ditado que há males que vem para o bem. vamso acreditar nisso!!

um abraço.

Ella disse...

É, terminar uma história de amor é difícil, sim... Eu também, como você, não faço muito drama, não... Quer ir? Vá... Mas não consigo me impedir de sentir falta, quando faz falta... Dia desses tava escutando Memória da Pele, do João Bosco e lembrei do meu amor que foi embora recentemente... Deu aquela dorzinha, sabe? Mas aí eu lembrei que foi ele quem quis ir... e que agora já tem outro em seu lugar... :)

Vão-se os anéis, os dedos ficam, né?

Xêro

Éverton Vidal disse...

Amigão... Nem sei o que dizer ó. Entre todas as mensagens que hoje eu li aqui. Essa foi a que marcou e te conto porque... Terminei nesses dias... É a vida né.

Abraço.

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____