quinta-feira, 26 de março de 2009


A Revista Piaui, da qual sou assinante há mais de dois anos trouxe na capa da edição de março uma chamada para a história em quadrinhos do mês: Memórias de um ex-Adventista.
A Galera do blog sabe que sou ex-adventista e quem ler a história pode crer, é minha vida ali escrita, escarrada sem tirar nem por.
Antes de postar hoje, fui lá no blog do autor da história. Allan Sieber, pra conhecer um pouco mais do seu trabalho e gostei muito e até postei um comentário por lá.

Fiquei impressionado com a riqueza de detalhes e consegui me ver em várias cenas. Não sou daqueles que vai correndo escrever pra revista mas talvez escreva pra elogiar, embora a minha visão seja um pouco diferente da visão do Allan. Onde ele lamenta ter participado disso eu agradeço e sinto muito orgulho. Sim, tenho orgulho de ter sido um Adventista e dos bons hein? Sem contar aquilo que vocês sabem que eu tenho uma dívida social muito grande com esta igreja. Lembra, o garoto bobão que morava na favela e saiu do Rio direto pro zunzum da publicidade brasileira? Pois , é uma dívida que nunca será paga.

No final da história Allan termina com um clássico, o corinho que eu cantava e ainda canto.A músiquinha que me inspirava e ainda inspira todos os dias, nos meus maus e bons momentos.E que eu nunca esqueci e que me traz tranquilidade.
É quando saio pela manhã, como hoje por exemplo e vou assobiando a melodia pela estrada:
Vou caminhando, sempre contente
Pela estrada rumo ao céu
Não tenho medo,Vou confiante
Pois Jesus comigo vai.
Quando fraco estou
Cristo dá me sua mão,
Juntos vamos assim, seu amor cantando!

Tomara que isto nunca passe.

Hoje no lugar de dizer um bom dia, mas bom dia mesmo, vou trocar por um Que Deus abençoe a todos. Inclusive o Allan, né não?

Mas eu não consigo terminar um post sem dizer um bom dia, mas bom dia mesmo.
Copiei as tirinhas do site da Revista Piaui. E aqui o endereço do blog do Allan

9 comentários. Clique e deixe o seu!!:

Marisa Pimenta disse...

Amigão, obrigada pelo comentário no meu blog. Realmente é legal qdo nos identificamos com qualquer coisa q nos remeta à nossa vida. Espero q a história seja real!!!!
Apareça sempre. BJks
PS: tenho mais dois blogs, é só ver no vivendo e clicar neles p conhecer. Bjks

MoizaCARTUNS disse...

Bela história, Amigão. Espero que não tenha, exatamente, se 'desviado' de Deus; mas, ao contrário de vc, o Sieber é um cara que nunca respeitou as crenças de ninguém.

Pena que não deu pra ler as tirinhas; mas adoro a Revista Piaui :)

Abraços o/

Natália disse...

É, realmente não dá pra aumentar as tirinhas, mas entrando no site da Piauí tem a historinha completa, e eu fiz questão de ler.
Eu achei interessante!
Eu respeito toda e qualquer forma de crença, mas, sinceramente, não vejo necessidade de tanto exagero.

Beijo, Amigão

Suzi disse...

Bem, eu não li, ainda, a tirinha. Li o comentário do Moiza, que conhece alguma coisa do Sieber. Eu conheço você. Eu lembro de você.
Então, eu acho que não vou comentar nada, outra hora eu leio a tirinha e depois conversamos sobre essa coisa de "ex". Aliás, "ex"... Isso é coisa pra um post inteiro!

Pronto, falei! disse...

Eu li a tirinha inteira do Allan, e conheço um pouco você.

Tem muita gente que teve SÓ esse tipo de experiência na igreja, e não as culpo por não conseguirem conciliar o pertencer a uma instituição adventista com uma vida feliz ao lado de Deus...

Meus pais, tios, primos, irmãos e até alguns vizinhos eram adventistas desde antes de eu nascer, portanto nunca tive um "grande conflito" por causa disso. Tanto mais "fácil".

Mas passei por vários momentos (e o último é bem recente), nos quais eu me questionei se isso tudo realmente valia a pena.

Óbvio para alguns, incrível para outros, mas continuo crendo. Não só na Bíblia, nas inspiração das mensagens da Ellen G. White ou na Igreja Adventista do Sétimo Dia - mas naquilo que Deus tem feito em minha vida e na vida de muita gente que eu conheci, conheço e acompanho - através (no sentido de "passar no meio mesmo) de todos os equívocos em torno disso. Foi nessa igreja que, inclusive, aprendi a questionar e ajudar a corrigir aquilo que nos leva a usar o que é bom para ser pessoas ruins!

Por mais que eu me estresse às vezes vendo algumas coisas continuarem tão insistentemente erradas, até hoje não me convenci de que me afastar poderia ser melhor.

Uma das coisas mais recentes e importantes que aprendi foi amar e respeitar absurdamente os "Eduardos" da vida; os mais próximos e os mais distantes, como esse. E também o "Eduardo" que existe em mim.

Mas o amor e o respeito maiores AINDA SÃO POR DEUS - que me conduz de volta ao equilíbrio, à paz e a algumas respostas cada vez que eu preciso - através, de novo, dessa igreja.

É por Deus MESMO - e não por eu ser diferente do Allan ou de você - que eu continuo achando que VALE A PENA.

Éverton Vidal disse...

Gostei da Tirinha número 3 porque lembra a minha adolescência...

É meio clichê, mas eu acredito que cada pessoa tem o seu caminho. Sim, Jesus é o único caminho. Ele é a avenida... nela há muitas formas de caminhar. Uns vão correndo, outros param aqui e ali, outro vai pela margem, outro que pensa que é carro vai pelo meio.

O importante é chegar lá. E todos chegarão lá, cedo ou tarde. É uma "fé" bem minha isso. Nem é só minha, tem gente que pensa/pensou assim e faço coro com eles.

Tava no seu caminho e no desse cartunista ser Adventista. Os resultados são individuais, porque nesse ponto de vista é aquilo que você uma vez citou no meu blog, a salvação é individual (ainda que seja para todos).

Em suma, cada um tem o seu jeito de caminhar o Caminho. E por Amor e Graça todos um dia chegarão lá, exceto, talvez, aquele que não queira chegar lá mesmo, daí entra aquele ponto interessante do pensamento adventista e que eu concordo 100%, o famoso "aniquilacionismo". Porque eu acredito na possibilidade de existir seres que vendo o Reino do Amor grite eu prefiro morrer!

E eu acabei falando pra caramba... coisas que talvez não tenham nada a ver com a postagem.

O que vale é olhar o que se viveu com olhares realisticamente positivos, e principalmente gratos.

Abraço.
Inté.

Éverton Vidal disse...

Amigão o meu comentário foi longo porque esse tema dá o que falar. Tem muita gente largando as Igrejas ultimamente, e a tendência é que cada vez seja maior o número dos "decepcionados".

É óbvio que há muitas falhas na Igreja. Tem gente saindo quebrado delas.

Eu sou um desses "ex". Saí decepcionado também, e porque a cabeça mudou. Mas depois resolvi voltar, e ainda estou voltando. Para somar. Espero um dia esclarecer isso rs.

Sei que não preciso de Igreja-instituição, porque sou Igreja, e porque encontro a Igreja em cada curva do meu caminho, no rosto de quem nem é visto como Igreja pela Igreja...

Mas quando me toquei disos, vi que posso ser útil na Instituição, de alguma forma, além é claro de que percebi que posso também ser ajudado de muitas formas.

Caminho é caminho, cada um tem o seu... O importante é não perder o foco no Cristo. Esse é o Essencial e o seu Espírito sopra até onde não queremos ver.

Abraço e reticências rs.

DrummerChick disse...

Ooooooooooooooown, Amigão! Saudade dos meus tempos de colégio adventista! Fiz parte de coral, fui solista e tudo! Bom demais!

Everton, às vezes eu acho que Jesus tá mais pra beco do que pra avenida (^^*)! Caminho estreitinho, mesmo, sabe? Mas é a minha leitura...

Amigão, parabéns pela sua filhota! Quando meu filhinho chegar a gente compartilha fotxenhas!

(Saudade!)

oProfeTa! disse...

Caraca, tou louco pra ver essa história em quadrinhos...
rs

A propósito: Parabéns pelo comentário!

Gostei do site.
abs

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____