terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Li ontem na Moça sobre uma blogagem coletiva preparada para hoje, promovida pelo blog Fio de Ariadne que ainda vou conhecer, com o tema "O livro da minha vida". Minha participação nesta blogagem é mínima. Não vou seguir bem as regras do evento mas indico o caminho pra quem quiser participar.
Veja as regras e como participar AQUI

Minha relação com os livros é algo muito pessoal. Não gosto de falar deles. São meus. A maioria deles li em noites solitárias e chuvosas. Foram meus amigos ocultos e participaram das minhas teorias conspiratórias e muitas vezes me acalmaram e aliviaram a noite que se anunciava fria.
Quando era pequeno li o “Mistério da caverna”, que narrava as aventuras de dois meninos que passavam a noite caminhando pela aldeia e praticando o bem. Os dois munidos com sua lanterna consertavam uma casa aqui, um barquinho ali, devolviam um objeto perdido acolá e tudo na calada da noite até serem investigados e descobertos pelo detetive Roy, já que a pequena aldeia estava em alvoroço tentando descobrir os autores daqueles mistérios estranhos. Li o "Mistério da caverna", quantas vezes pude. Praticamente a infância inteira.

Depois já no ensino fundamental, lá pela sexta série li “Férias em Xangri-lá”, indicado pela minha querida professora Vasty que encantou e envolveu minha infância.
Antes disso na escolinha lá em Campo Grande havia o "clube do livro" e na quarta série fui campeão com um recorde de leitura. A contagem era pelo total de páginas lidas. Isto me lembra a professora Miriam Mariana Barbosa (sei o nome inteiro de cor). Para ser bem sincero, os livros substituiam os brinquedos, já que éramos pobres e a diversão era ler. E pra ser muito sincero muitas vezes substiuiram a própria alimentação. Comida já foi coisa rara em minha vida também. Livros não.Nunca.
Depois os livros do Sidney Sheldon logo substiuídos por todos da Agatha Christie. Os livros acadêmicos, históricos, as biografias também foram grandes paixões."O Anjo Pornográfico", "Chatô" e muitos outros.
Na publicidade todos que tinha que ler li até que estes foram trocados pela coleção inteira com 33 volumes do "Asterix".
E outros e outros e centenas deles que encontrei pela rua, nos sebos. Eu gosto de sebo até hoje que é onde faço pequenas pescarias de livros raros e antigos. Nos sebos encontro livros que fizeram época na vida de pessoas.
" É tão triste quando se vai em um sebo - e eu gosto de ir a sebos, como você sabe- e achar livros que foram dados de presente a alguém com dedicatórias carinhosas. Amores antigos e amizades passadas, são essas as histórias que essas dedicatórias contam; e eu me sinto um intruso quando vejo essas pequenas histórias tristes, como se estivesse olhando pelo buraco da fechadura para algo tão íntimo e agora tão melancólico." (Rafael Galvão)

Mas a blogagem não trata dos livros que li ou que comprei em livrarias e sebos ou mesmo nas calçadas da Praça da República. O tema da blogagem é “O livro da minha vida”.


Quando vim morar em São Paulo, minha mãe me deu uma Bíblia de presente. E escreveu: "Filho este livro vai fazer você esquecer o pecado.Ou o pecado vai fazer você esquecer este livro"(mãe, nenhum nem outro, pode ficar tranquila). Pois é, eu tenho uma Bíblia aqui em casa. Bíblia, isso mesmo. Olha aí em cima, já bem velinha. Este exemplar está comigo e sempre bem visível desde 1986.

É ítem de bagagem, é horóscopo, é meditação, é remédio é a minha bulssola diária.É pessoal.Não foi o único como puderam ver, mas foi o que me acompanhou nesta longa e agitada vida. E foi lá que aprendi a mais absoluta de todas as verdades: "O choro pode durar uma noite inteira, mas a alegria virá pela manhã".

E é esta certeza que me faz dizer pra você cada manhã: Bom dia, mas bom dia messssssmo!

12 comentários. Clique e deixe o seu!!:

Su disse...

Escolher um livro que realmente marcou a vida da gente é meio complicado. Em algumas tristes tardes de sábado eu sentava ficava na varanda da minha casa sentada na rede, vendo/ouvindo a chuva molhando a terra e embalava a minha leitura com livros como o Grande Conflito, Aquele livro no sótão e mesclava com algumas leituras da bíblia. Já em outras ocasiões li alguns livros didáticos, alguns livros do Bullón, Machado, Cecília, Clarice e tantas outras leituras que não sei mesmo definir qual é o livro da minha vida! isso é muito difícil!! Mas o livro das nossa vidas sim, é a bíblia. Um livro completo e verdadeiro!!

beijos e bom diia!!

Du disse...

Amigão, eu adorei esse seu post! \o/
A maioria dos livros que você citou eu nunca li, mas aconteceu comigo mais ou menos o que aconteceu com você, só que ao contrário: Eu substitui TODOS os livros da Agatha Christie pelos do Sidney Sheldon e li tudo o que encontrei dele!
Eu AMO sebos, A-M-O! Bibliotecas então....
Livrarias nem tanto, porque são muito caras! \o/

Beijos, querido!

Éverton Vidal disse...

Até agora nos textos dessa blogagem que li só deu Bíblia. Isso me deixa feliz.

Gostei especialmente do seu texto e já já vai sair o meu.

Um forte abraço amigo.
Inté!

Luana disse...

Ai, adorei, Amigão. O Vidal está dizendo acima que nos textos da blogagem q ele leu só deu a Bíblia.

E isso me interessou bastante, pq nem todo mundo confessa q lê a bíblia, por ter vergonha. Há pouco mesmo eu conversava c mamãe sobre isso. Para mtos, ler bíblia parece coisa de mariquinhas, de gente insegura, saca?

Mas gente segura de que precisa de uma força maior é que lê a biblia.

Beeijooosss

Neto disse...

Sua frase final diz tudo. Nem preciso dizer mais nada.

Já que é amigo do Vidal, passa a ser meu amigo também. Vou te seguir no blog e te visitar mais vezes.

Ainda mais, tendo afinidades textuais. :)

Grande abraço.

disse...

Feliz por ler palavras tão lindas que só poderia vir de você.
Por isso e muito mais que cada vez te admiro mais e mais.
Sua escolha dentre tantos indicados não poderia ser a melhor.
Beijos meu querido amigo, posso lhe dizer que te amo muito de todo meu coração???
Que Deus te abençoe sempre e sempre!
Beijos!

Lorena disse...

Ah, Amigão, quie lindo que os livros sempre fizeram parte da sua vida tb. Eu tb sempre tive uma relação muito pessoal e íntima com meus livros, alguns estão comigo sempre, apesar de saber que eu deveria doá-los, não consigo. me apego a eles como me apego a pessoas.

Eu confesso que a Bíblia não é exatamente o livro da minha vida. Ela contém alguns dos livros mais importantes da minha vida. Por exemplo, os Evangelhos, já li todos várias vezes, e sempre me emociono com eles. O livro de Salmos, o livro de Eclesiastes, e Eclesiástico, o livro de Ester, de Samuel e de Daniel. Além disso, todas as cartas de Paulo e, principalmente, as de João e Tiago, sempre com tantas palavras sobre o Amor. É uma compilação de livros com lindas histórias, grandes ensinamentos e marcas de fé. Da minha fé também. =)

Lindo o seu post, Amigão, gostei demais dele. =)
beijos!

cristiano silva disse...

indiquei seu blog para ganhar um selo confere lá blz!

Vanessa disse...

Olá, não estou preocupada com regras, seu post está valendo e na lista dos participantes. A Bíblia apareceu bastante nas postagens.

Obrigada por aderir à coletiva!

Abraço

Cristiane Marino disse...

Lindo seu post!
Parabéns
Cris

Juca disse...

Bem que tentei puxar pela memória o nome da minha professora, pois ganhei dela meu primeiro livro. Mas a idade... kkkkk

Abração, Amigão!

Suzi disse...

Bem, sabe quando a gente lia a lição da escola sabatina todinha de uma vez na sexta-feira à noite pra poder contar 7, no sábado pela manhã? Pois é. Eu li os posts atrasados (numa correria) e vou relatar sete, tá? Mas só vou comentar aqui. E você sabe por que. Papo de mãe... essas coisas. Você entende.
;)
Um beijo, amigão. E por falar em caneca... rs*

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____