sábado, 13 de dezembro de 2008


É incrível o que a saudade faz com a gente.


Ilustração feita maravilhosamente pelo Moiza do Cartum com Bobagem.

Quando fui estudar em outra cidade, eu sabia que seria bom. Mas nem me passava pela cabeça o quanto Petrópolis me marcaria. Por isso quero contar para vocês, bem resumidamente, como foram os anos em que estudei no Colégio Estadual Dom Pedro II.

Não havia qualquer esperança de conseguir ficar na mesma turma que algum amigo, já que eu não conhecia uma pessoa sequer naquela escola. Mas, claro, falante que sou logo na primeira semana eu já havia feito um número considerável de amizades em minha turma. Só que demorei quase uns seis meses pra realmente ter amizade com a turma todinha.

Naquele 1° ano eu me senti uma nova pessoa, por ter novos amigos em um lugar novo e aprender coisas que antes eu não conhecia.
É claro que sempre criamos vinculos mais fortes com uns do que com outros. E isso não seria diferente comigo. Mas jamais deixei alguém totalmente de lado.
Os passeios daquele primeiro ano foram inesquecíveis, mas não entrarei em detalhes. O que conta é que foi um ano formidável, que eu jamais esquecerei.

No 2° ano aconteceram mudanças, como era de se esperar. Alguns reprovaram, outros novos entraram e uns poucos foram transferidos de turno. Óbvio que todo mundo sentiu falta da turma tal qual era, e confesso que demorei mais do que eu esperava para me habituar. Mas em questão de meses a turma já era como devia ser: unida "tanto para o bem quanto para o mal" como disseram alguns professores.

O 3° ano foi realmente marcante. Talvez por ser o mais recente em minha memória, ou porque a maioria daquela turma ainda eram as mesmas pessoas desde o primeiro ano, e tinham consciência de que aquele seria o último...

As pessoas novas que entraram foram formidáveis, sem que eu tenha do que reclamar de qualquer uma delas. E por isso não demorou tanto para que todo mundo se unisse numa turma amiga e companheira.
Como eu ia dizendo, aquele era o último ano. E sei que todo mundo sentia o coração apertar ao pensar nisso. Eu, pelo menos, me sentia assim.
Sempre me apeguei às pessoas, e mesmo que em certos momentos tenham havido discussões, aquelas pessoas eram para mim como uma família perfeita.

Talvez seja apenas impressão minha, mas o fato de eu ter sempre sido o menor das turmas (entre os meninos) tenha feito de mim uma espécie de mascote; de caçula. Não que eu tenha sido paparicado como tal, mas acredito ter sido "bem cuidado", não sendo envolvido em brigas e brincadeiras de mal gosto.

Mais uma vez essa frase martela aqui dentro: aquele foi o último ano.
E o tempo não iria parar por isso.
O último dia da minha turma foi dias antes do último dia de aula em si.
O último dia onde todos estavam presentes, e a dureza daquela realidade havia acertado a cabeça de todo mundo.
Vi meus amigos chorarem, e percebi que aquele laço havia sido extremamente importante para eles também. Não, eu não chorei com eles. Não ali. Mas quase alaguei o quarto ao chegar em casa.

Já irá se completar um ano que aquela turma se desfez. Um ano sem entrar na sala dando bom dia e fazendo brincadeiras. Um ano sem rizadas em conjunto, e sem a maioria daquelas pessoas.

Sim, fui até Petrópolis pouquíssimas vezes novamente, e acredito ter revisto apenas seis amigos de turma.


É fato que pouco provavelmente iremos todos nos reunir novamente um dia. Mas existe outro fato muito mais importante: que carrego a todos no meu coração. Alguns mais profundamente, mas sem deixar nenhum deles cair do esquecimento, ou ficar fora da minha saudade - e é incrível, incrível o que ela faz com a gente.


*O Henrique escreve AQUI. Fique a vontade em visitar o blog dele.


Bom Final de Semana a todos!
Beijo do Amigão!

29 comentários. Clique e deixe o seu!!:

Suzi disse...

Que texto lindo, Henrique! Quanta sensibilidade! Sabe, é mesmo incrível o que essa Dona Saudade faz com a gente. Mas o que importa mesmo é o que a gente faz com ela. Nada de deixá-la guardada num canto, esmorecendo. É preciso mantê-la viva. É preciso valer-se dela como impulso, como incentivo para promover o reencontro, para reviver momentos, para renovar sentimentos!

Muito lindo, seu texto.
E agora, com licença, que eu vou ali no quarto da Elite me arrumar pro casamento. Tô por aqui, viu? Qualquer coisa é só chamar. A Su já tá chegando! Fica à vontade, Henrique.

;)

Katia disse...

Nossa que lindo esse texto, aconteceu comigo a mesma coisa esse ano,quanta saudade do meu povinho dos 3 anos que passamos juntos e derrepente acaba.
no meu caso eu me mudei e deixei as pessoas com quem passara o ensino fundamental, meus vizinhos e amigos de anosss, mas ainda tenho grandes amigos daquele tempo, começar uma nova vida, conhecer novas pessoas, e me acostumar a esse novo lugar, foram várias mudanças, mas tenho certeza que as pessoas que conheci no colégio me fizeram me adaptar melhor !!
nossa quase chorei aqui lendo o texto e lembrando de tudo que passei no cebs , caramba marcou minha vida, e agora tentando passar para uma faculdade e la vem mais novos amigos e muitos novo aprendizados uhull
sinto muita falta de todos com quem convive nos colégios em que estudei mas tudo faz parte de quem sou e de quem serei no futuro!!

bjão Henrique
e beijaoo amigão

Su disse...

Êita que saudade de ler vc, Henrique!! E que texto maravilhoso é esse?!!
Ah... eu tbm sinto saudade dos meus amigos do Colegial, era muito gostoso! Éramos uma turma muito unidade, às vezes encontro um ou outro, mas todo mundo se dispersou, estão em outros lugares, mas sempre estamos mantendo contato pelo orkut!! Ô bichinha danada é essa tal de saudade, viu?!! Aff...
E eu te conheci nessa época, hein?! Tu ia pra Petrópolis cedão! Ê sauuudade danada de vc, tbm!! Preciso ir logo ao Rio!!!

Beijão, Henrique!!

Beijos Amigão!!

Parabéns, Moiza a caricatura ficou idêntiiica!!!!

Beijão tuurma!!!

HenriqueM disse...

Bem, estou ainda traumatizado pela minha orelha e meu nariz na caricatura, mas o que fazer se esta é minha realidade? HAHAHAHA.

Pois é, gente. Acho que está é REALMENTE uma fase que marca a nossa vida. Todo mundo sabe como eu sou critico com meus textos, mas dessa vez não me prendi em agradar os leitores. Eu escrevi apenas o que estava pulsando aqui dentro, e fico feliz que tenham gostado - mesmo não sendo um texto tão extenso como costumo fazer.

Mas eu acredito que verei a todos eles, ainda que apenas uma vez mais.

Obrigado pelos comentários.

Suzi disse...

Su, arruma meu cabelo??
:))

Su disse...

= Arrumando o cabelo da Suzi =

:))

Suzi disse...

Ai, Su, ficou lindo!!!
Vou indo pro casório, tá?
Vou trazer o buquê pra você!!
hohohoho!!!

Suzi disse...

Tchau, Henrique! Tchau, Katinha!
Beijos, Turma!
;)

Su disse...

Ficou lindo mesmo, Suzi.. hihi!!!
Boa festa, divirta-se bastante, vou ficar aqui esperando vc trazer o buquê!! hohoho
\o/

Beijão, Suzi!!!

Camila disse...

Poxa, que história linda de amizade! É mesmo difícil ir pra uma cidade nova, parece que tem que começar tudo de novo, uma outra vida. No começo é sempre difícil e ainda bem que você tem tanta facilidade pra fazer amigos, isso é um dom, sabia? Nem todos nascem com ele.

Prazer em conhecer você e a histórias desses 3 anos tão marcantes. Eles nunca sairão de você, nem os anos, nem os amigos, com certeza.

Parabéns pela participação, Henrique!

Meninas, Suzi e Su, vocês estão cuidando muito bem daqui, viu?

Um beijo pra você três!
E um beijo pro Amigão!

Gisa disse...

Que maravilha ler um texto seu Henrique... eu tava com SAUDADE!

O mais hilariante foi que antes de ler o post, quando eu vi o desenhinho no sofá, eu pensei: 'Ué, mas parece o Henrique!'

shuashuashua...
Juro que é verdade!!

Abraços!

(Abraços a Su, Suzi e ao Amigão também)

HenriqueM disse...

Camila, eu nunca havia pensando nisso como um dom, mas agora que tu disse isso eu fiquei bem feliz. Realmente eu tenho facilidade enorme de fazer amizades. Falo demais, puxo assunto. Sou tímido sim, sabe. Mas depois que eu perco a timidez, eu converso, brinco...

Enfim, obrigado por ler e comentar.

Beijos.

HenriqueM disse...

Gisaaaaaa, é verdade. Você sempre passa no meu blog pedindo algo novo, e enfim eu postei algo mesmo que não seja em meu blog.
Fico feliz pelo carinho. Obrigado mesmo.

HAHAHA, a caricatura ficou ótima mesmo. No começo eu fiquei triste com o tamanho da orelha, mas depois curti tanto que até coloquei no Orkut. ^^

Su disse...

Eita que sofá mais movimentado!!
Que delíciia, Henrique!!
E vc tem esse dom mesmo de fazer amizade. Eu fico lembrando da época que eu morava aiii e a gente se divertindo, vc levando lanche pra mim lá na lan, lembra?!!! kkkkk... Era muito, muito bomm !!
Sauuuuudadess

HenriqueM disse...

É verdade, Suzana. ^^ Tirando a parte de discussões (que já superamos) era tudo uma maravilha. Haha, lembra quando eu levei aquela carne assada que meu pai faz? Tu se amarrou, hehehe.

Ai ai, é tão bom lembrar desses bons momentos...

Suzi disse...

Oi, Amigos, acordei!!
Cheguei tão cansada, do casório, que dormi aqui mesmo, no sofá! Vocês foram muito bacanas, fazendo pouco barulho. rs*

Henrique, a festa, aqui, também ficou até quase meia-noite, hein? A gente começa a lembrar de gentes e coisas do passado e nem vê o tempo passar, né?
Bem, pessoal, a Elite deixou um franguinho assado, na geladeira, e uma farofinha de ovos. Vamos arrumar a mesa pro almoço? Ou só eu estou com fome???
Vou lá fora buscar um sorvetinho pra gente, tá bom?

Inté!

Su disse...

Bons tempos mesmo, hein Henrique!!! E aquelas briguinhas foi coisa de adolescente sem noção.. hihihi...Graças a Deus super superadas... hehehe...
E que carne assada era aquela meu Deus!! Uma delíiiicia, a melhor que eu já comi!!! hahahaha...

Suzi,
é verdade, quando falamos em sauudades, momentos... nem vemos a hora passar. Tô com fominha sim, ainda bem que a Elite não esqueceu da gente!! Tá precisando de ajuda aii?!!!
Eu comprei uns refrigerantes para quem não bebe, trouxe tbm suco de uva natural, e umas cervejinhas!! hihihihi....

E aiii vamos brindar?!!

Suzi disse...

Brindemos! Brindemos! Aos amigos, às saudades, à vida, aos amores!!

Trouxe suquinho de uva pra mim, é? Boneca não bebe, você sabe e não esqueceu!
;)

O sorvete é o famoso "carioquinha", conhece?
Deliciem-se!!

Marina disse...

Uau! A caricatura ficou ótima! Olhando direitinho, também parece o Sylar, de Heroes...

Henrique, fiquei feliz em ler você de novo. Fico sempre aguardando o dia em que você vai voltar. hehe

Sinto essa saudade imensa pela minha turma da faculdade. Sabe, turma de odonto é igual a turma de colégio. E foram 5 anos! Dia 11 de janeiro devo postar um texto sobre essa saudade, porque é quando fazemos aniversário de formatura. Não tenho seu talento para fazer amigos, mas adoro cada um que fez parte daquela turma.

Espero que haja muitos reencontros ainda. Beijos!

Rafael disse...

Henrique tem o dom da escrita, ele é meu colega virtual que admiro de montão.

Muito bom esse blog.

Francine Esqueda disse...

Muito bacana... Bom mudar, aprender e viver na pele essas diferentes experiencias... melhor ainda é a retrospectiva, reconhecer tudo isso e todos!
Me identifiquei! Adorei!
É isso ai Henrique, pena que crescemos em todos os sentidos e junto com isso as nossas responsabilidades e a correria do dia a dia... A vida corre e se não corrermos atras das amizades e lembranças tudo isso some!
beijos

Su disse...

Aos amigos (mesmo que virtuais), aos amores, a saudade (esse sentimento que embora vazio, pode ser muito completo)!!!

Suzi, eu não iria esquecer o suco de uva da Boneca!! hihihi...

Saudades desse sorvete carioquinha!! acertou em cheio, Suzi!!!

Que delícia de sofá!!!!

Su disse...

Gente,
eu vou precisar da uma saidinha, mas Henrique, fique a vontade.
Qualquer coisa a Suzi tá por aii!!!

Suzi, toma conta direitinho da casa, eu volto mais tarde, tá bom?!!!

Beijinhos...

Inté!!!

HenriqueM disse...

^^

Volte logo, Su.

NANA disse...

"É fato que pouco provavelmente iremos todos nos reunir novamente um dia"

Eu não diria isso. meus principais amigos foram feitos na escola (ensino fundamental e médio)e até hoje sempre reecontro o pessoal.

Pergunta pra Kátia a quanto tempo eu conheço a peste do irmão dela e vira e mexe a gente se encontra. Tá certo que no meu caso com ele, já tem um tempinho que não nos encontramos pessoalmente, mas o contato, tanto c/ ele quanto c/ os outros não foram perdidos.

Quando existe uma amizade forte, os laços não se diluem. Acredite.

Beijos nas meninas, no Amigão e no Henrique.

Su disse...

A amizade se mistura com a saudade e promove belíssimos encontros como esse que arracam dos nossos corações a melhor forma de amar.
Amigos, saudades, amor, sentimentalidades... tudo isso nos transforma!!!

Henrique obrigada pela participação aqui no sofá!!!
BEijos e até a próxima pessoal!!!

HenriqueM disse...

Obrigado Suzanna. ^^
Só para exclarecer para a NANA:
eu me referia ao fato de nos encontrarmos TODOS juntos, como antes, entende? Isso realmente é impossivel, pois cada um sta segui do a sua vida. Mas enfim, é esperar e ver se o destino me dá isso de presente, mesmo eu acreditando que nao.

Rhayssa Belloti disse...

Ain, Henrique...você sempre emocionando com suas palavras certas!! Confesso que me identifiquei muito com o texto, pois ano que vem (se Deus quiser) vou emboraa, para um lugar novo e ter a experiência de depois de anos de interior conhecer uma coisa completamente diferente, e eu senti esse aperto no coração de que você falou no meu último dia de aula. A verdade é que mesmo não sendo tão unida, descobri que, na verdade, a minha turma era unidíssima (se é que dá pra entender algo assim).

Beijo, saudades!

Marco Antonio disse...

Nossa... que saudade dos tempos de escola me bateu agora... Ah felizes somos nós que temos boas recordações!

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____