sábado, 8 de novembro de 2008

Dia de re-visita no sofá
A convidada é a doce e meiga Lorena, do blog


Oi, pessoas queridas! Pela segunda vez estou sentada nesse sofá vermelho, sempre tão aconchegante, batendo um papo com o Amigão e com todos os outros "amigões" que passam por aqui. Da primeira vez que o Amigão me convidou eu não sabia muito bem do que se tratava, era novata não apenas nesse sofá vermelho, mas no mundo das blogagens de um modo geral. Meu cantinho era recém-nascido e eu, toda boba com o convite, preparei-lhe logo um baita artigo sobre bossa nova e fui mandando para o Amigão... E ele, com todo o jeitinho do mundo, tentou me dizer que eu podia ser menos formal, fazer uma introdução mais bacaninha, dar um jeitinho aqui, outro ali, pra coisa ficar mais "descolada". E a coisa saiu, nasceu e até que foi muito bem recebida... Agora volto no sofá, dessa vez mais solta e menos formal, porque já conheço a casa, já conheço os convidados, já conheço até a Dona Elite (oi, Elite!), e ela até disse que eu poderia colocar os pés em cima do sofá, que o Amigão não liga e ela também não.

Aliás, na minha casa eu sempre pude colocar os pés em cima do sofá... Achava bem chato quando ia visitar algum primo ou amigo e os pais deles não deixavam que a gente subisse no braço, ficasse em pé e nem usasse as almofadas do sofá pra fazer guerrinhas. Na minha casa sempre pudemos fazer tudo isso. Não que não tivéssemos disciplina, mamãe é daquelas que sabem pôr ordem numa casa e nunca admitiu nada fora do lugar...por muito tempo. Mas enquanto estivéssemos no meio da brincadeira, tudo bem, era só arrumar tudo depois.

Então o sofá era mais um brinquedo do "parque de diversões" que eu e minha irmã transformávamos nossa casa. Tinha uma brincadeira que nós adorávamos e dava pra fazer certinho no conjunto de sofás da sala de estar. As duas poltronas ficavam perpendiculares uma em relação a outra, e no cantinho sobrava um lugar vazio, onde os braços se encontravam, era um quadrado pequeno mas cabia perfeitamente nós duas sentadas lá. Aí pegávamos um colchão e colocávamos por cima dos braços e fingíamos que era nossa barraca de camping. Os braços não se encontravam completamente na frente, só em cima, deixando uma fresta por onde nós entrávamos na barraquinha.

Às vezes passávamos o dia todo lá dentro, levávamos comida, bonecas, a tarefa de casa, e só saíamos à noite... Era nesse mesmo sofá que eu passava horas lendo, deitada até sentir a pele toda grudada na napa do forro. Imagina, um calor infernal como só o de Vitória sabe ser, e eu deitada num sofá de napa, a tarde toda, com um livro no colo. Aí quando não agüentava mais de calor, eu tentava levantar e estava grudada! Até conseguir me soltar levava um tempo e alguns "ais!"...

Eita, cheguei aqui pensando em falar sobre mim e acabei falando de sofás, contando mais uma história de infância. Mas eu sou assim, vira e mexe estou contando alguma história de alguma época que vivi, ou recontando alguma história que ouvi de uma época que eu não vivi.

Eu acho que vou ser daquelas velhinhas que colocam os netos sentados no colo e passam a tarde toda contando histórias "de antigamente". Aliás, isso é influência direta dos meus avós mesmo, cresci desse jeito, no meio de contos, relatos e causos de um tempo que eu só conseguia imaginar.

Cresci no meio de adultos e sempre gostei de ouvir conversas de adultos, e tudo que eu não entendia, imaginava, com essa cabecinha fantasiosa que eu sempre tive. E como criança não pode falar de assunto de "gente grande", eu realmente não falava; guardava tudo e ficava remoendo, pensando, criando teorias próprias pra explicar o que tinha ficado vago...

Tanto fiz isso que tomei gosto por essa coisa de pensar e desenvolver raciocínios complexos sem emitir uma palavra falada! Só que chega uma hora que você sente falta, sente falta de falar, porque sabe que se não falar, a idéia vai sumir. E depois pra reproduzir uma idéia fielmente, meu amigo, é impossível!

Então foi daí que me veio a idéia de criar um blog... Onde eu falo o que eu penso e da forma como eu penso, o que nem sempre é lá muito fácil de entender, mas não é à toa que se chama "Strange Little Girl". É porque a garotinha aqui sabe ser estranha, às vezes.

O nome vem de uma música, o template é inspirado num filme, e daí vocês já conseguem perceber bem o que eu mais gosto nessa vida, além dos temas recorrentes que aparecem por lá. Gosto de escrever mais do que imaginei que pudesse; sempre gostei, mas nunca tinha tido prazer real até começar a perceber que podia escrever sobre tudo, que alguém leria. É por isso que os comentários são sempre tão importantes num blog, eles fazem parte do processo de escrita também. Além disso, são os comentários que nos fazem conhecer outros sonhadores de lápis e papel (e agora, porque não, de teclados sem fio!), e através deles nos conectamos com esse mundo imenso e surpreendente que é a blogosfera.

Fiz e faço amigos, além de textos; conheço lugares e idéias, além de códigos de HTML; paro e penso sobre assuntos que nunca passaram pela minha cabeça; leio e me emociono com poemas e versos em prosa; brinco de devaneios em comunidades hippies virtuais; acima de tudo, exponho sem (tanto) medo aquelas idéias que sempre povoaram minha cabeça e nunca tiveram uma real válvula de escape.

Acredito que essa é uma das funções de se ter um blog: expôr. Expôr pensamentos, idéias, alma e coração, por que não? A partir do momento que se abre esse espaço o poder das palavras é maior do que seu senso de auto-preservação.

Para os tímidos, como eu, pode ser uma grande ferramenta ou um motivo de desespero. Porque, convenhamos, qual é o tímido que gosta conscientemente de se expôr? Só que as palavras escritas acabam tornando o processo todo muito mais fácil e natural e, quando vemos, já falamos o que devíamos, o que queríamos e o que nunca nem sonhamos! E no final das contas, até que nem é tão difícil, não dói e pode fazer um bem danado para o coração.

Por essas e outras que, por mais que eu tente, não consigo ficar muito tempo longe desse universo, que já é meu mundinho particular. =)


Amigão, obrigada pelo espaço, obrigada pelos quitutes (aliás, obrigada a D. Elite!), e pelo carinho que você sempre teve comigo! Beijos!

StrangeLittle Girl

Lorena foi fotografada pelas lentes do Moiza

13 comentários. Clique e deixe o seu!!:

Su disse...

É isso aii Lolli!!!!
Que sofá maravilhoso esse, hein?!! heheheheheheheehehe...

Êita mais eu sinto uma falta desses encontros na casa da minha avó, guerra de almofadas, histórias... pultz!! Muito bom meesmo!! hehehehehe

Bem que na próxima festa do Amigão poderia rolar uma guerrinha de almofadas, êita que maravilhaa!!! rsrssrsrs..........

E que bom que eu tive a oportunidade de te conhecer além dos HTML's!!!!

Beijos, Loolli!!

Parabéns pelo (re)sofá!!!

Leandro Neres disse...

Loli! Adorei tua visita e teus contos no sofá! Como vc sabe contar histórias, isso é fabuloso, mesmo! haha, eu sempre fico imaginando as cenas, vcs bricnando no sofá, vc lendo a tarde inteira, depois sentada no canto ouvindo as histórias e criando as tuas... Nossa, quanta coisa legal, tua vida é mesmo um livro cheio de contos e histórias felizes, eu sempre adoro ler parte dele^^
E obrigado ao Amigão por te re-convidar!
Bjos!
Leandro

Lorena disse...

Obrigada, gente! E obrigada ao Amigão pelo espaço também. =)

beijos

Du disse...

Lô, Já falei que adoro te ler, né?
E nesse texto voltei a infância lembrando das "barraquinhas" que eu montava na sala com meus irmãos, principalmente nos dias de chuva! Eu havia esquecido do quanto era bom brincar assim, sem ter essas preocupações típicas dos adultos que hoje somos!

Agora entendo a facilidade que você tem de escrever e contar histórias tão bem contadas, isso vem de berço!

Eu também não consigo ficar longe desse universo, meu mundo particular, meu blog! Ele faz um bem danado pro meu coração! \o/

Adorei essa re-visita, mas isso eu já sabia mesmo antes de ler! ^^

Beijos, Lô!
Beijos, Amigão!
Beijos, Moiza!

Amigao disse...

Boa tarde Loren

Boa tarde amigões, obrigado pela visita no sofá com a Lorena.
Eu também adoro ler as historias e tudo mais que esta menina escreve.
Espero que este sofá embora lembre a sua infância esteja muito confortável pra voc~e.

Beijão

lavanderiavirtual disse...

Sabe que o nome do seu blog me chamou a atenção logo de cara, lá no blog da Du? rsrs Mas num primeiro momento não pude te visitar por causa dos nossos desencontros e correrias diários. :-)

Por fim, acabei chegando lá e adorando seu jeito de escrever! Descobri inclusive que você também gosta dos Carpenters (Karen canta que é uma delícia ficar ouvindo horas e horas), assim como eu e a Drummer!

Depois teve um assunto que abordei lá no meu blog que chamou sua atenção e que depois você o abordou no seu, mas que já estava em sua mente abordá-lo! É muito bom passar por esses acontecimentos e encontros aqui na blogosfera, pois isso nos aproxima e une mais! :-)

Enfim, adorei sua volta ao Sofá. Preciso depois com calma ler a entrevista anterior.

Beijos, Lorena!
Abração, Amigão!

Juca

Camila disse...

Ow...
Que entrevista mais meiga...
E tinha como ser diferente?

Lorena, eu já imaginava que sua vida fosse cheia de historinhas e de brincadeiras, porque até hoje você mostra esse lado menina no seu blog. Eu te vejo como uma menina que sonha e como uma mulher que escreve, e essa mistura é o que me encanta sempre ao ler suas palavras e sues sentimentos.

Parabéns pela entrevista, viu? Quando acabou, fiquei com vontade que você tivesse escutado meu... Ahhhhhhhhhhhh... =(

Amigão, a convidada não poderia ter sido melhor escolhida! Então parabéns! E muito obrigada por mais uma oportunidade de conhecer mais dessa forura aí.

Beijos pros dois!

Letícia disse...

Conhecendo mais a Lorena e tenho a mesma impressão que tive no início. É uma menina. Digo menina como criança mesmo, com a alma boa e sem maldade. Tipo criança que lê Monteiro Lobato. Adorei o texto. É uma verdade dizer que ter um blog é estar exposto e conhecer gente. Conheci você, Lorena, através do Bilhetes e do Leandro. Imagina se nunca tivéssemos escrito? Se vc não tivesse o Strange Little Girl muitos não teriam a chance de ler você.

Bjos.

Lorena disse...

Du, ou eu conto as histórias, ou elas me contam, não tenho muita escolha... Obrigada pelas palavras lindas! =)

Amigão, o sofá estava mais do que confortável, estava perfeito! Sabia que nãot emos um sofá na sala aqui em casa?? Queria que fosse vermelho e confortável como o seu... =) Obrigada de novo pelo convite, eu adorei participar mais uma vez!

Juca, obrigada, adoro te re-descobrir sempre. Não nos falamos muito mas admiro a coragem com que vc escreve sobre seus temas... Sinta-se a vontade pra voltar no blog, viu?? beijos!

Camilinha, engraçado é que eu te vejo exatamente da mesma forma, uma menina sonhadora vestida de mulher escritora... =) Obrigada, linda!

Lê... Eu sou uma menina que ainda lê Monteiro Lobato, você acertou em cheio! E obrigada pelas palavras doces, sempre. Ainda bem que a blogosfera existe, ainda bem que o Bilhetes existe, ainda bem que o Leandro existe... e ainda bemq ue vc existe tb. =)

beijos, pessoas lindas, obrigada pelo carinho!

Urbano Leonel Sant' Anna disse...

Oi, Amélie!

Pra variar, chego tarde no Sofá... :(

Estou correndo e com tempo pra quase nada, mas não podia perder a tua participação. Sabes como eu dou real importância a tudo que decido ler, né? Imagina o desespero ao ver o tamanho do teu texto. "Mais comprido do que esperança de pobre!", eu pensei. "Toma uma dose do teu próprio remédio, seu Urbano!", foi meu outro pensamento. Fazer o quê? Quanto mais cedo começar, mais cedo eu termino. E não é que, conforme eu fui progredindo na leitura, acabei me envolvendo nas tuas histórias e gostando cada vez mais? Só não li uma segunda vez porque realmente estou sem tempo. Adorei esta história de sofás e de infância, de idéias e de vontades, de palavras e de blogs e de códigos e de amizades. No fundo, tudo isto é um resumo daquilo que a Lorena é: esta pessoa maravilhosa que sabe muito bem como usar as palavras. Será isto a tal conotatividade? (rsrsrs)

Beijão, Amélie!
Grande abraço, Amigão!

Sensata Paranóia

Amigao disse...

Pois é Urbano, esta é a tal conotatividade.Pra saber o que isto significa é só ler um simples texto da Lorena. Brilhante mesmo.

Obrigado pela participação de todos neste sofá

Beijão Lorena.

Francine Esqueda disse...

Eeeeeeeeeee!!! Linda Lori aqui!!!
De novo!!!!! Adoro o Blog dela! As coisas que a gente discute e se identifica são unicas e maravilhosamente loucas...
Pura terapia, afinidade e meiguice... A gte vive filosofando!
Beijos e sucesso, ela merece!

Éverton Vidal disse...

Também nao curto me expor Lorena... só quando me senti à vontade, senao, prefiro o bom e velho silèncio.

Acho que no meu próximo sofá, sabe-se lá quando eu vou tentar me desformalizar por aqui. Afinal, essa casa aqui já é nossa né?

Abraçao Amigao.
Abraçao Lorena.

Inté!

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____