sábado, 22 de novembro de 2008


Com vocês Monica, do Blog Diário de Mim Mesma

Confesso que ficava sempre na encolha, espiando cada um que sentava e imaginando o prazer da experiência. Todos eufóricos, ansiosos, tensos por darem a sentadinha mais famosa que a blogosfera já viu. Pensei em pedir com jeitinho para sentar e experimentar, mas, embora ninguém acredite, eu sou tímida. Melhor ficar quieta e só observar a “sentada” dos outros (momento voyeur... fecha a cortina). Encurtando o papo furado, minhas preces foram atendidas e eu sentei. Aqui no sofá vermelho do Amigão, claro (bom, costumo sentar em outros lugares também: cadeira, chão, poltrona, vaso sanitário e onde mais sua imaginação permitir). Vamos combinar que tal honra foi conseguida graças a alguns subornos básicos: um pôster do Leonardo para a Elite, jujubas para a Suzi, canecas pro Amigão e lápis aquarelável pro Moiza tentar melhorar o que a natureza me ofereceu em um 26 de janeiro de algum ano entre 1965 e 1967.
Essa semana fui convidada por uma blogueira a participar de um meme onde devemos fazer um texto com as recordações de nossa infância. Em meio a tantas lembranças eu me vi no sofá da sala da minha casa. Os pés em cima do sofá eram liberados assim como pular freneticamente para liberar as energias, como dizia meu pai. Era ali que eu costumava ficar com ele, ouvindo suas histórias de vida e seus conselhos.
Papai me colocava em seu colo e lia Monteiro Lobato com entonações diferentes para cada personagem, o que me rendia gostosas risadas. Era naquele sofá que ele costumava sentar quando chegava do quartel e eu me agachava para tirar seus coturnos. O sofá era onde assistíamos juntos ao Programa do Capitão Aza, Topo Gigio e Vila Sésamo. Quando o sono não vinha era ali que ele deixava eu me deitar e começava a cantar “Acalanto” no meu ouvido.

Foi sentada naquele sofá que vi meu pai chegar a casa com um cachorrinho para me dar de presente em meu oitavo aniversário. Foram muitas coisas que aquele sofá testemunhou, o sofá vermelho do pequeno apartamento da minha infância. E ao pensar no que escrever hoje por aqui, percebi a feliz coincidência entre as cores dos sofás e, por que não dizer, entre o acolhimento que meu pai sempre me deu e o que o Amigão oferece ao dividir seu espaço conosco. Meu pai faleceu em 10 de junho de 1999 e eu, que sempre precisei escrever para entender as minhas idéias, meus medos e meus anseios, escrevi num fôlego só o que vocês poderão ler agora.

Ela era a princesa da vida dele. Fisicamente eram parecidos. Ele a ninava no colo, cantando para ela dormir. Ele a segurava nos braços para ver os bichos no Zoológico. Ele a ensinou a andar de bicicleta. Tentou ensiná-la a torcer pelo Vasco. Mostrou a ela que ser determinada era fundamental para seu crescimento.

Herdou dele o senso de organização e o amor pelos livros. Ensinava pacientemente matemática para ela. Parou de fumar para que ela nunca entrasse no vício, embora sem sucesso. Achava linda a fantasia de bailarina que ela insistia em usar em todos os carnavais. Orgulhava-se ao vê-la desfilando no 7 de Setembro como melhor aluna de seu colégio. Como militar que era, sabia ser autoritário. E doce, quando queria. Soube dar limites e carinho na dose certa. Ela só o viu chorar uma vez na vida. Naquele momento ela descobriu que ele era apenas humano.

O primeiro namorado foi reprovado simplesmente porque ele percebeu que a menina havia crescido. Os laços de fita e os vestidos tinham sido definitivamente aposentados e as novas roupas eram sempre curtas demais, decotadas demais, apertadas demais, pequenas demais. Os ciúmes, estes sim eram grandes demais.

Ela achava lindo o amor que ele tinha por sua mãe e queria viver um igual. Um dia, ela quis casar. Ele alertou que não era uma boa escolha. Ela insistiu, ele concordou. Ela deu um neto a ele. Não o primeiro, mas o único que ela viu no colo daquele homem. Quando ela resolveu se separar, ele foi o primeiro a saber. Apoiou incondicionalmente. Voltaram a viver na mesma casa e ela se sentiu novamente amparada.

Um dia, ela acordou e soube que ele era uma pessoa tão especial que o cara lá de cima o chamou para o seu lado, de surpresa. Ele foi, sem se despedir. E ela chorou, embora até hoje sinta a presença dele nas horas que mais precisa.

Você que tem seu pai hoje por perto, abrace-o, beije-o e diga o que realmente sente... Um dia você poderá ter vontade de fazer isso e não mais será possível. Como hoje, pra mim.

Amigão querido, obrigada de coração pelo convite. Sinta-se beijado e abraçado.
Aos que aqui passaram, meu beijo, meu abraço e um litro de leite.

Bom, Amigão, o blog começou como Diário de mim mesma pois a idéia era mesmo fazer daquilo ali um diário virtual, um resgate dos diários de papel que me acompanharam pela vida toda. Pela minha fixação em ilustrar as postagens quase sempre com alguma vaca ( fixação essa que nem sei onde começou nem o porque...rs) quando mudaram o template colocaram uma vaquinha e mudaram o nome do blog pra Rabiscos de uma vaca ensandecida, já que sempre me referia ao blog como "meu caderno de rabiscos"

O blog é um caderno de colagens, na verdade. Algo que li e que me tocou vira post...coisas do dia a dia viram post.... uma imagem ou um trecho de música que me traduza vira post....só não falo de política e futebol...rs... a não ser quemeu Botafogo seja campeão...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
A ilustração do post é do Moiza.
Bom final de semana a todos!

36 comentários. Clique e deixe o seu!!:

Suzi disse...

E aí, de repente, sentada aqui desde as nove da manhã, comendo jujubas do suborno e esperando a Mônica e a Elite chegarem do Rio, vejo surgir na tela esse texto lindo, de me fazer chorar...

E eu termino descobrindo que entre o pasto e os sofás há mais coisas do que supõe nossa vã blogosofia...

Conhecer seu papaizinho foi um prazer; descobrir que certas coisas que fazem você ser tão bacana são herança dele, e perceber que "craque a gente faz em casa", só confirmam que você é mesmo uma vaquinha muito especial!!

Um beijo, um abraço e um litro de leite, Mumumu!

Suzi disse...

p.s.
adorei a caricatura!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
tá ótima!!

Lorena disse...

E eu fiquei com lágrimas nos olhos no final do texto... Acho que por não ter meu pai aqui do lado, para fazer o que me foi sugerido pela Mônica, abraçá-lo beeem forte...

Lindo o texto, Mônica, linda participação nos ofá! E eu sou como vc, adoro relembrar essas histórias de antigamente e o sofá da minha casa também tem altas histórias pra contar. =)

Beijos, Amigão!

Mônica disse...

Suzi, assim quem acaba chorando sou eu! Se eu sou uma vaquinha especial, vc é a minha boneca preferida!

beijos e que as jujubas estejam ao seu gosto...rs

Mônica disse...

Lorena, então você entende bem o que vai no meu coração, né?

Obrigada por suas palavras.

Mônica disse...

Amigão, mais uma vez obrigada. O café estava ótimo, viu? Dá pra levar a caneca pra engrossar a minha coleção? rs...


Moiza, vc é muito bom mesmo, cara! Se houver uma próxima sentada
( opa!!!!!) me presenteia com uns peitões e umas coxas grossas?? rs....

Suzi disse...

Ô, fia, as jujubas estão perfeitas!
Ah! E os pacotinhos de confete que você deixou debaixo da almofada... Uia! Delícia!!

Fersi disse...

Eu quase nunca vejo alguém falar do pai. Talvez porque eu nunca tenha tido muita sorte com o meu e preferisse pensar que todo mundo era assim com seus pais.
Meus olhos se enxeram de lágrimas quando eu li o seu texto. Talvez pela ausencia do meu, ou talvez pela presença maravilhosa do seu.
Muito lindo como fala dele. E com certeza muito dele permaneceu em você.
Obrigada por esse texto tão lindo Monica. Me fez pensar bastante.
Abraço!!!

Amigao disse...

OI Monica
Meu pai foi meu herói durante algum tempo.Era um excelente pai e seus conselhos, ensinamentos ficaram até os dias de hoje.
Havia um problema que manchava todo este heroismo e eu acho que nunca comentei. O cara apesar de um excelente pai não era um bom marido.Isto incomodava muito e também marcou. Passado algum tempo estas coisas passaram e ele voltou a ser nosso heroi,principalmente pela maneira que morreu.Com dignidade.
Tinha três unicos sonhos na vida, e dizia que depois disso morreria feliz: Casar uma filha na igreja, construir uma casa e ver seu flamengo campeão. Naquele dezembro, fez tudo isto.
E numa noite qualquer de dezembro chamou minha mãe e pediu perdão por tudo que tinha feito, pediu que ela orasse com ele, cantou um hino com ela e desejou boa noite.
Foi assim, meu herói e bandido.

Amigao disse...

Mudando de assunto, queria agradecer pela sua participação e por nos brindar com um texto lindo.

Bem vinda a turma do amigão!

Amigao disse...

Ah sim, obrigado também pelo post da Elite. Gostei muito da iniciativa e está convidada a mandar mais textos pra ela.

Suzi disse...

Ai, amigão, eu não conhecia essa história... E lá estou eu aqui, de novo, com lágrimas nos olhos...

"Pai... Você foi meu herói, meu bandido, hoje é mais, muito mais que um amigo. Nem você, nem ninguém 'tá sozinho. Você faz parte desse caminho que hoje eu sigo em paz... Pai... Paz!"

Urbano Leonel Sant' Anna disse...

Oi, Mônica!

Gostei de conhecer um pouco da tua história e saber desta bonita relação que tinhas com o teu pai. Sempre me emociono com histórias como esta. Não são todos que tiveram a mesma sorte que tu.

Parabéns pelo texto e obrigado pelo litro de leite! Acho que vou fazer uma batida (vitamina) de abacate. (rsrs)

Abração, Amigão!

Sensata Paranóia

Márcia(clarinha) disse...

Bem...chorei sim, estou longe MÔquerida e vc sabe pq, mas chorei sim...

Sem mais, arrebentou!

lindos dias
beijos

Mônica disse...

Suzi, vc achou os confetes?????? Esqueci no sofá...não sujou nada não, né? não quero tomar bronca da Elite!

Fersi, realmente muito do meu pai ficu em mim e com certeza eu me orgulho disso.

Amigão, vc me fez chorar. E não me agradeça por ter aceito seu convite. Vc sabe que isso é uma honra. Quanto a Elite, deixa comigo...rs... Qdo quiser é só falar que eu escrevo, sim.

Urbano, realmente eu tive sorte pelo pai que me acolheu. Ainda tem abacate aí? O leite é por minha conta!

Marcinha, minha Loramada, sai desta chuva do ES e volta pra casa!

Beijos, pessoas!

Jana disse...

E vim claro ver Mô sentada no sofa, e confesso que chorei de novo lendo o texto, já tinha chorado na época...

beijos

Su disse...

Caraca, eu acho que cheguei atrasadéeeeeeeeeeerrima... Pultz!!! Mas desculpa ai, tá?! É porque pensei que vc nem fosse voltar, sabe como é, né?! Você e a Elite perdida no Rio, ai acabei chegando aqui atrasada deeeeeeeeeeemais...
A Suzi deixou algumas jujubas pra mim?!!! Adoooro!!!
Bom, acho que todos já foram, né?!

Su disse...

Eu tenho a sorte de ter meu aqui do meu ladinho e sempre encho meu paizinho de carinho... Mas meus olhos encheram de lágrimas, porque teve um tempo em que nós estávamos completamente distantes, e posso dizer que estou conhecendo meu pai verdadeiramente tem uns 6 anos... Ele sempre esteve presente, mas não tenho muitas histórias lindas da minha infância com o meu pai para contar, mas agora tudo o que se perdeu no passado estou encontrando agora e é a coisa mais gostosa e mais feliz do mundoo!!!

Que sofá delicioso!!
Pena que eu cheguei tarde, mas achei lindo!!

Parabéns, Mônica!
Quem sabe nos encontramos depois, eu vou pedi a Suzi ou o Amigão para me apresentar a você... hehehe...
Beijão e parabéns!!

Amigão, Beijoos pra vc!!
Te amo, Sauuudades

Mônica disse...

Jana, eu sei que vc sente aquilo que sinto...beijo, guria


Su, fã de jujubas???? ainda tem uns pacotinhos aqui, viu? Ou vc acha que eu sou boba e deixei tudo pra Suzi???? E quando quiser as porteiras do pasto estão abertas, viu? Tem sempre leite por lá. Beijos

Suzi disse...

Su, eu te apresento. Mas vai rolar jujuba pra mim também???? É, fia, escambo meeesmo!!!

:o))

Su disse...

Obaaa!! \o/\o/\o/

Pensei que todo mundo já tinha ido embora!!!!!!!!!

Prazer Mumu!!! (óia a intimidade, meu Deus!!) Nem pode da corda, né?!! kkkkkkk...
Eu querooo leiiiiiite!!!!!!!
E muito obrigada pelas jujubas...


Suzi,
podexá que vou roubar umas jujubinhas pra vc!!! hehehe

Beijão, Meninas

Amigao disse...

jujuba com leite???

Su disse...

kkkkkkk........

Não Amigão!!!

Eu tomo o leite quentinho e depois... aii vem a jujuba!!!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Suzi disse...

se preferir, amigão, pode ser confete com leite, no lugar da jujubinha.

;)

Su disse...

hehehehehe...

confete com leite!!!!

uia!!!

Du disse...

Mônica, muito prazer.

Sabe, depois de um final de semana conturbado de problemas principalmente em relação ao meu pai, leio esse texto e fica difícil parar de chorar, porque saí da casa dele no sábado brigada com ele que foi sempre uma pessoa muuuuuiiiito difícil e nunca tivemos uma relação amigável. Apesar de tudo eu sempre o amei muito, admiro tudo o que ele conquistou com o próprio esforço, mas me dói muito saber que para ele o dinheiro significa mais que a própria família... Mas tudo bem, eu já devia estar acostumada, mas não estou. Eu ainda choro muito e fico arrasada por dias a fio...
Bom, mas não vim aqui pra desabafar e sim dizer que você escreve muito bem, tanto que me emocionou profundamente.

Parabéns por ser como é e compartilhar com a gente experiências tão lindas e gratificantes.

Um beijão!

Mônica disse...

Su,Suzi e Amigão:

Decidam aí o que vc querem porque eu só garanto o leite... mas num leite quentinho bom é um pedaçode Suflair.....

Mônica disse...

Du:

O prazer é meu, viu?

Como bem diz minha boneca preferida Suzi,o que vale mesmo é tocar o coração das pessoas... e se o que eu escrevi fez isso já me dou por bastante satisfeita.

beijos

Suzi disse...

Suflair eu dispenso... É da Nestlé. E a Nestlé EU BOICOTO, você sabe.
;)

Amigao disse...

A Nestlé eu biscoito???
Fala assim não, é meu cliente tadinho.

Su disse...

kkkkkkk....

Eu adooooro chocolate da Nestle!!
Eu qroooooooooo!!!!!!

Su disse...

"Jujuba, bananada, pipoca,
Cocada, queijadinha, sorvete,
Chiclete, sundae de chocolate
Paçoca, mariola, quindim
Frumelo, doce de abóbora com coco
bala juquinha, algodão doce, manjar

Venha pra cá
Venha comigo
Amar é pra já
Não é proibido
Vou te contar
Tá divertido
Pode chegar

Uh,uh ,uh "


Musiquinha de Marisa Monte pra ficar mais animado ainda!!!

kkkkkkkkkk

Amigao disse...

Eu gosto desta musica.Muito boa mesmo.

Bjs

Su disse...

Ela não sai da minha cabeça... não tem botão de desligar!! kkkkkk

Éverton Vidal disse...

TOU atrasado mas li o sofá e nao vou deixar de visitar a Monica. Me emocionei até... amo muito o meu pai.

Inté!

Mônica disse...

te esperando lá, Éverton...

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____