terça-feira, 7 de agosto de 2007

Merlim comentou meu blog

O amigão, encontrou este comentário no seu blog:

Merlim disse...
"Eu me lembro não dos tempos de "muleque" mas um tempinho logo depois. Talvez não tenha tido oportunidade de dizer mas sempre admirei sua capacidade de criar e se manter fiel ao que pensava. Mesmo que soubesse que os que te assistiam nos JAs da vida muitas vezes o faziam por falta de opção ou por costume. E apesar de não concordar muito com parte do seu estilo -carreira solo, nunca deixei de reconhecer o seu valor. Mesmo que apesar de não termos sido grandes amigos, tivemos grandes amigos em comum que nos oportunizaram vencer diferenças e manter uma convivência salutar.Quanto a ser reconhecido, ficar rico, isso é legal, mas existe coisa muito maior que isso. A felicidade mora mais perto do que imaginamos, difícil é enxergá-la em nossa miopia de vida"

Acho que a pessoa está se referindo aos tempos da Central Paulistana, acho que sim.
Lá pelos idos de 1986, ingressei na Central Paulistana e ali passei alguns anos, servindo com lealdade, dando tudo até o limite, li no Advir, que a Central Paulistana, comemorou seus 78 anos. E a nossa equipe estava na festa de “60 anos de Liberdade”, tema criado e festa organizada por nós. A gente formava um time legal, com o Wagner, o Edson, o Kaup, a Arismar, Cláudio e o Alex. Tempo dinâmico, de criação pura.Não era uma carreira solo, era uma equipe.Isso sim!
A mesma equipe que organizou o"I Encontro Adventista de Propaganda e Marketing", totalmente profissional e produtivo, e devidamente apedrejado e criticado.
A mesma equipe que participou ativamente nos bastidores do primeiro"Projeto Sol",no Ibirapuera, divulgando o evento na imprensa e fornecendo dados de audiencia do IBOPE para os organizadores alem da cobertura fotográfica que foi cedida depois para a CASA. A mesma equipe, que trabalhou na divulgação do “Nova Voz” no seu inicio,quando ainda se chamava Louv'art. A mesma equipe que organizou o acampamento "Cataventos", que dizem foi o melhor acampamento da história.
Mas faltava alegria, faltava paz.Ou talvez como você disse reconhecimento, uma coisa que os humanos gostam muito, e que de vez em quando faz um bem danado. E afinal de contas o amigão era um jovem como os demais, precisava ter sua vida e ao contrário, estava ali trabalhando por outros jovens que nem sabiam se estavam ali por costume ou falta de opção.
Sem saudades, sem rancores, sem sorrisos, sem acenos na ida e sem convites para voltar. E lá se vão dezoito anos, sem ouvir falar.
É muito fácil me encontrar aos sábados, estou sempre no ultimo banco na IASD de Campo Grande, região de Santo Amaro, exceto nos dias em que saio pra jogar tenis.

0 comentários. Clique e deixe o seu!!:

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Deixe o Amigão feliz, comente isto!



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

____